Jon Jones, Georges St-Pierre e Kevin Randleman são incluídos no Hall da Fama do UFC; saiba

Na última quinta-feira (23), direto do Park Theather, em Las Vegas (EUA), aconteceu a cerimônia anual de introdução dos novos membros do Hall da Fama do UFC. Com a presença de diversos lutadores que fizeram história na organização ao longo dos últimos anos, o evento teve como ponto alto o anúncio da entrada de mais lendas do esporte na seleta lista, além da criação da categoria “Menção Honrosa” e a premiação “In Memoriam”.

Ao todo, cinco lutadores passaram a integrar o Hall da Fama do Ultimate. Atualmente aposentado do MMA, Georges St-Pierre agora integra a lista de atletas da categoria “Era Moderna”, enquanto Jon Jones e Alexander Gustafsson entraram na lista de “Melhores Lutas” da história da companhia. Falecido em 2016, Kevin Randleman também foi introduzido na “Era Moderna”, enquanto Dustin Poirier, lutador peso-leve do UFC, recebeu a menção honrosa por conta da criação e trabalho realizado em sua ONG, “The Good Fight Foundation”. Por fim, Marc Ratner foi indicado à lista como “Contribuidor”.

Atualmente com 40 anos, Georges St-Pierre é considerado um dos melhores lutadores de todos os tempos no MMA. Com um cartel de 26 vitórias e apenas duas derrotas, o canadense fez história no UFC e foi campeão em duas categorias na organização, na divisão meio-médio e também no peso-médio. Na cerimônia, “GSP” foi apresentado por Royce Gracie, o primeiro Hall da Fama do UFC, que exaltou St-Pierre: “Georges St-Pierre é uma versão melhor de mim mesmo. Ele seria um grande Gracie, mesmo que muito bonito para um Gracie”, disse Royce.

Agora na lista das “Melhores Lutas” da história do UFC, o confronto entre Jon Jones e Alexander Gustafsson aconteceu pela primeira vez em 2013, no UFC 165, e após cinco rounds eletrizantes, “Bones” saiu vencedor na decisão unânime dos jurados. O ex-campeão meio-pesado do Ultimate esteve presente na cerimônia e afirmou que pretende fazer seu retorno ao MMA, agora na categoria peso-pesado, em 2022, enfrentando o vencedor da disputa de cinturão entre Francis Ngannou e Ciryl Gane.

Campeão peso-pesado do UFC no início dos anos 2000, Kevin Randleman foi mais um homenageado na noite. Falecido no ano de 2016 por conta de uma insuficiência cardíaca, o americano foi representado pelo seu ex-parceiro de treinos e também ex-campeão peso-pesado do UFC, Mark Coleman. Em sua carreira no MMA, Randleman contabilizou 17 triunfos e 16 derrotas, e se destacou por ter vencido nomes como Mirko Cro Cop, Pedro Rizzo, Renato Babalu e Murilo Ninja, entre outros.