Na primeira competição após as Olimpíadas, Brasil fatura uma medalha no Grand Prix de Judô

Publicidade

O Judô brasileiro começou o ciclo Paris 2024 com pódio. No último fim de semana, o novato Guilherme Schimidt, de 20 anos, conquistou a medalha de prata nos meio-médios masculino (81kg) do Grand Prix de Zagreb, na Croácia. Ele venceu três lutas e só parou na final diante do número um do mundo, Tato Grigalashvili. Essa foi a primeira medalha do atleta em Grand Prix.

Schimidt estreou nas oitavas-de-final, batendo o francês Tizie Gnamien por ippon com uma chave de braço. Nas quartas, superou Jose Maria Izquieta, da Espanha, por waza-ari, e avançou à semifinal, onde seguiu com o ritmo forte e superou o moldavo Dorin Gotonoaga, por ippon.

Na luta pelo ouro, Schimidt encarou o atual número um do mundo, Tato Grigalashvili, da Geórgia, que é vice-campeão mundial e quinto colocado nos Jogos de Tóquio. O adversário conseguiu um waza-ari de vantagem logo no início da luta sobre o brasileiro e administrou o placar até o fim. Apesar disso, Guilherme se manteve agressivo no combate, conseguiu forçar duas punições em Grigalashvili, mas não alcançou a pontuação para ficar com a vitória e ficou com a prata.

Dos sete representantes brasileiros em Zagreb, Natasha Ferreira (48kg) também chegou a disputar medalhas, mas perdeu o bronze e ficou em quinto lugar. O time brasileiro foi composto por judocas sub-23, em sua maioria, que começam a ganhar experiência internacional em competições adultas e a somar os primeiros pontos no ranking mundial. A próxima competição do Circuito Mundial será o Grand Slam de Paris, na França, nos dias 16 e 17 de outubro.

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

Publicidade