Revelação da Checkmat, faixa-marrom Thamires Monteiro analisa títulos do Pan-Americano e Mundial No-Gi

Publicidade

O Jiu-Jitsu feminino cresce a todo instante e seu efeito é notório nos torneios da International Brazilian Jiu-Jitsu Federation (IBJJF). Da faixa-azul a marrom, caso de Thamires Monteiro, as mulheres estão mais profissionais e vêm ganhando destaque.

Recentemente, há três semanas, para ser mais exato, Thamires brilhou no Pan-Americano de Jiu-Jitsu realizado em Orlando, na Flórida (EUA). A jovem estrela da Checkmat venceu três oponentes para ficar com a medalha de ouro na categoria peso-leve. Na finalíssima, ela fez 10 pontos contra Joanna Christine (Tac Team BJJ).

“Eu fiz três lutas na categoria, não tomei nenhum ponto ou vantagem durante todo o meu campeonato. Ainda fui capaz de ganhar a final por 10 pontos. Pude colocar todo o meu jogo em ação, estava um passo à frente das outras meninas”, destacou a campeã, que treina na Checkmat La Habra, na Califórnia, ao lado do seu esposo e faixa-preta Jackson Douglas.

Aos 23 anos, Thamires sonha em ser uma faixa-preta de destaque. Ela treina sob a tutela de Lucas Leite, que é o responsável por lapidar a fera. No Pan, por exemplo, ficou nítida a forma com que ela conduz os combates, sempre visando pontuar o máximo possível até chegar na finalização.

“É um treino totalmente voltado para competição, treinos específicos e porrada (risos). Eu amo passagem de guarda, é meu jogo favorito! Mas já tem algum tempo que estou me desafiando por baixo e está indo bem… Confesso que estou até gostando”, refletiu.

Na semana passada, Thamires voltou a conquistar um grande título no esporte. A faixa-marrom brilhou no Mundial No-Gi da IBJJF. Pela divisão peso-médio, ela venceu duas lutas, finalizando Alanis Coral com um mata-leão na decisão.

“Muito feliz com meu desempenho e vou continuar treinando para conquistar o título, também, de quimono”, disse Thamires, emocionada após a medalha de ouro.

Estudiosa, a jovem também parou para analisar o crescimento do Jiu-Jitsu feminino, de modo geral. Hoje, por mais que esteja ainda longe do ideal, as mulheres estão ganhando cada vez mais o merecido espaço dentro do esporte.

“Eu acredito que estamos no caminho certo de ganhar o devido reconhecimento, porém mudanças levam tempo. Cada ano que passa aumenta mais a quantidade de meninas em campeonatos, o que ajuda muito a trazer visibilidade para o Jiu-Jitsu feminino. Grandes eventos como Fight To Win, BJJ Stars, BJJBET estão incluindo meninas nos seus eventos. Claro que ainda são uma ou duas lutas femininas para um card de cinco lutas masculinas, mas está melhorando. Quanto mais meninas tivermos no cenário competitivo do Jiu-Jitsu, mais visibilidade teremos e, consequentemente, mais oportunidades. Eu espero”, projetou.

Em sua carreira, Thamires acumula medalhas de ouro no American National, onde venceu categoria e absoluto, Campeonato Brasileiro e Pan-Americano, todos com o selo da IBJJF.

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

Publicidade