Depois de três anos sem lutar, Bruno Cappelozza celebra ‘volta por cima’ e busca por US$ 1 milhão na PFL

Publicidade

* Com 32 anos e uma carreira composta por um cartel de 12 vitórias e cinco derrotas, Bruno Cappelozza viu sua trajetória no MMA mudar da “água para o vinho”, como o próprio lutador resume. Após ficar praticamente três anos sem lutar, o brasileiro foi contratado pela PFL (Professional Fighters League) para integrar o GP dos Pesados da organização e o rendimento não poderia ser melhor. O paulista fez, até o momento, duas lutas no torneio, nocauteando Ante Delija e Muhammed DeReese ainda no primeiro round, respectivamente.

Os ótimos resultados fizeram com que Bruno conseguisse a tão esperada vaga na semifinal da competição e, nesta quinta-feira (19), o casca-grossa enfrenta Jamelle Jones em busca da sonhada vaga na grande final do GP. Vale ressaltar que o campeão do torneio fatura o prêmio de US$ 1 milhão, além do cinturão da categoria. Em entrevista à TATAME, Cappelozza falou sobre a expectativa com a possibilidade cada vez maior de ganhar a premiação, que viria para simbolizar uma trajetória repleta de desafios.

“Com certeza, se der tudo certo – e se Deus quiser vai dar – essa premiação vai mudar ainda mais a minha vida da água para o vinho. Sobretudo pela minha história, porque eu já não lutava há três anos, vinha tendo rendas de outras formas, dando aulas, correndo atrás para buscar meu dinheiro. Então, sem dúvida, se eu conquistar esse prêmio, vai mudar minha vida por completo. Vou conseguir dar uma casa para minha família, porque moro até hoje com meus pais. Vou dar meu melhor para alcançar esse objetivo e sair campeão desse torneio”, projetou o atleta.

Ao longo do bate-papo, Bruno Cappelozza falou sobre o longo período sem lutar e o retorno triunfal ao MMA pela PFL, a expectativa e a estratégia para o confronto diante de Jamelle Jones, entre outros assuntos.

Veja outros trechos da entrevista com Cappelozza:

– Três anos sem lutar e início avassalador na PFL MMA

Foram três anos parado, sem lutar e com muitas lesões e também muitas dificuldades. Mas, graças a Deus, consegui retornar ao MMA com grandes vitórias. Eu esperava, sim, um bom desempenho, porque venho treinando há três anos em grandes equipes, com grandes nomes e professores muito qualificados, então estou muito bem preparado, tanto fisicamente quanto psicologicamente, para os próximos desafios que vierem dentro da PFL e essa é a grande diferença por ter retornado tão bem depois de três anos sem lutar. Estou muito feliz com os resultados e com as minhas atuações, a cabeça está boa, estou lutando feliz e isso faz toda a diferença. O trabalho da PFL é fenomenal, sem dúvida, eles dão muita atenção e valorizam muito os atletas.

– Primeiras lutas na PFL / Treinos no Brasil e nos EUA

Na minha primeira luta, eu fiz um grande trabalho na equipe Nova União. Foquei bastante no meu Jiu-Jitsu e fiz bastante sparring com ajuda do mestre Dedé Pederneiras e do Ronny Markes, além de outros grandes atletas. Agora estou aqui em Las Vegas (EUA), treinando na Xtreme, academia do Randy Couture, com grandes professores, como o Ray Sefo. Minha relação com o Corinthians é muito boa, eu sempre treinei ali nos últimos anos, sempre deixei as portas abertas e tenho muitos amigos. É um lugar que eu gosto de treinar quando estou no Brasil e me sinto muito bem.

– Preparação para a semifinal contra Jamelle Jones

Estou me preparando muito bem para essa luta contra o Jamelle Jones, aqui mesmo na Xtreme, em Las Vegas. Assisti muitas lutas dele, vi que é um cara muito perigoso, que gosta bastante da luta agarrada, queda bastante e fica batendo por cima, tem um jogo muito justo. Mas estou me preparando muito bem, treinando com grandes nomes e tenho certeza que vou fazer um grande trabalho e proporcionar uma ótima luta para os fãs da PFL.

– Estratégia para sair com a vitória e a vaga na final do GP

Gosto de entrar na luta, sentir o que está acontecendo, procurar os erros do meu adversário e é exatamente o que eu vou fazer, assim como foi nas duas primeiras lutas. A hora que eu achar uma brecha no jogo dele em pé, vou tentar pegá-lo nos erros dele, e se precisar também botar para baixo, fazer Jiu-Jitsu, também estarei preparado. Estou pronto para qualquer tipo de situação, podem ter certeza disso.

– Possibilidade de ganhar o grande prêmio de US$ 1 milhão

Esse prêmio de US$ 1 milhão, com certeza, dá um estímulo a mais, isso é inegável. Mas a gente não pode estar pensando nisso o tempo todo, porque pode acontecer de vir uma grande pressão na hora de lutar. Então, o segredo é pensar luta a luta e não ficar pensando muito nesse dinheiro, pelo menos por enquanto (risos).

CARD COMPLETO:

PFL 2021 #8
Fort Lauderdale, na Flórida (EUA)
Quinta-feira, 19 de agosto de 2021

Card principal (22h, horário de Brasília)
Peso-leve: Kayla Harrison x Genah Fabian (semifinal)
Peso-pesado: Bruno Cappelozza x Jamelle Jones (semifinal)
Peso-leve: Larissa Pacheco x Taylor Guardado (semifinal)
Peso-pesado: Denis Goltsov x Ante Delija (semifinal)

Card preliminar (18h30, horário de Brasília)
Peso-pesado: Renan Problema x Stuart Austin
Peso-leve: Kaitlin Young x Marina Mokhnatkina
Peso-pesado: Carl Seumanutafa x Mohammed DeReese
Peso-leve: Mariana Morais x Claudia Zamora
Peso-leve: Miranda Barber x Amanda Leve

* Por Diogo Santarém

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

Publicidade