Árbitra no Brasileiro da CBJJE, Vanessa comenta distância do filho e ‘pede’ mais mulheres arbitrando

Publicidade

As mulheres no meio do Jiu-Jitsu vão gradualmente conquistando seu lugar de direito, mas ainda há enorme caminho a percorrer – em especial na arbitragem. São poucas as que ocupam o posto de árbitra durante importantes eventos. No Brasileiro da CBJJJE (Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu Esportivo), por exemplo, só tinha uma. A faixa-preta Vanessa Paixão, que também é atleta, atuou no comando das lutas no torneio.

Vanessa comentou sobre o impacto de desempenhar o papel de árbitra em um importante evento da CBJJE, como o Brasileiro: “É uma grande satisfação, fico muito feliz com a oportunidade que o presidente (Moisés Muradi) me deu. Pelo incentivo do mestre Felix Carteiro também, que foi o grande mentor. Ele me incentivou a vir competir e me encorajou a arbitrar. Apesar de já ter arbitrado em Belém, é um desafio pra mim, até por não ter outra mulher aqui arbitrando. Espero incentivar que mais mulheres venham arbitrar”, comentou.

Vanessa é natural de Belém do Pará e tem um filho de três anos. A árbitra comentou sobre o desafio de seguir no esporte após a maternidade e como faz para lidar com o período longe do filho – que segue no norte.

“Eu sou de Belém do Pará, estou aqui (São Paulo), mas o meu coração está lá (com o pequeno filho). Tenho um filho pequeno de três anos, e também fico feliz de representar as mães no Jiu-Jitsu. Após a maternidade, muitas não voltam. Pra mim é um desafio, mas é muito satisfatório que, infelizmente, tem essa distância do meu filho, mas estou conseguindo conciliar e quero o melhor para nós dois”, disse a faixa-preta de Jiu-Jitsu.

Um dos árbitros mais antigos e respeitados da CBJJE, Felix Carteiro fez elogios ao trabalho de Vanessa e pediu mais mulheres como árbitras: “Ela é uma excelente árbitra, além de ser uma ótima lutadora. É firme na arbitragem e o que falta muito é uma presença maior das mulheres na arbitragem. O público feminino está crescendo muito, mas falta essas meninas aqui arbitrando luta. Deixo os meus parabéns a Vanessa, pela determinação, força de vontade, porque não é fácil estar dentro do tatame, mas ela fez com louvor”, apontou.

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade