‘Bones’ do Jiu-Jitsu, Devhonte Johnson lembra participação no BJJ Stars, período no Brasil e descreve Leandro Lo: ‘Simplesmente selvagem’

Publicidade

* Um dos representantes da nova geração de faixas-preta de Jiu-Jitsu dos Estados Unidos, Devhonte Johnson brilhou nas faixas coloridas e, desde então, vem buscando seu lugar ao sol na elite da arte suave. Atrás do objetivo, o americano se aventurou em terras brasileiras e participou da quarta edição do BJJ Stars, realizada no fim do ano passado, quando encarou o casca-grossa Patrick Gaudio. O confronto foi decidido nos detalhes e terminou com triunfo de Gaudio por uma vantagem após empate em 2 a 2 nos pontos.

Em entrevista exclusiva à TATAME, “Bones”, como é conhecido o lutador, falou sobre sua participação no BJJ Stars, a experiência de retornar ao Brasil – onde já atuou outras vezes -, treinos com o multicampeão Leandro Lo e, entre diversos assuntos, contou como se tornou fã dos Racionais MC’s, famoso grupo de rap brasileiro.

“Minha passagem pelo Brasil foi incrível, adoro o país e a comunidade de Jiu-Jitsu. Todos me tratam bem e eu sempre conheço novas pessoas, o que torna as coisas ótimas. Na última viagem gostei muito de conhecer o pessoal da Barbosa BJJ. Também tive o prazer de treinar com o Leandro antes do evento. Eu, definitivamente, sinto que fiz grandes amigos e sou muito grato por isso. O Brasil é especial pra mim sempre que venho. Sobre o evento, o BJJ Stars fez um trabalho incrível, se esforçando ao máximo para cuidar dos atletas”, contou Johnson, completando sobre os treinos com Lo e outros faixas-preta na Gracie Morumbi (SP).

“Cara, foi um prazer. O Leandro é simplesmente selvagem. Todos os outros caras também foram super legais e parceiros de treino duros. Eu me diverti muito, cada rodada era uma guerra, e então saíamos e os observava bebendo refrigerante (risos). Eu não sabia que os brasileiros amavam tanto Coca-Cola”, lembrou.

 

Em sua penúltima aparição no Brasil, durante a Copa Podio, em 2018, Devhonte veio sozinho, e acredita que o fato tenha atrapalhado no seu desempenho. Já para o BJJ Stars, o americano contou com o apoio do casca-grossa Murilo Santana, professor de Johnson e líder da Unity Jiu-Jitsu. “É muito importante ter pessoas em quem você pode confiar ao seu lado em oportunidades como essas, porque é um ótimo lembrete de quem você é e pelo que está lutando. Cada atleta tinha uma comunidade de pessoas por trás deles (no BJJ Stars), e quando você olha para o canto e vê uma representação disso também, seu professor, é o empurrão extra”.

“O Murilo é, simplesmente, o melhor professor do mundo, e teria sido muito difícil estar onde estou sem ele andando comigo a cada passo do caminho. Ele é o grande responsável pela minha evolução como atleta, principalmente porque há muito poucas pessoas com o seu nível de dedicação. Esse homem é o resumo de bom trabalho e disciplina”, elogiou o faixa-preta, que treina sob os cuidados do brasileiro em Nova York (EUA).

Confira abaixo outros trechos da entrevista:

– Você entrou no tatame ouvindo Racionais MC’s, um importante grupo de rap brasileiro. Como conheceu?

Sim, eu amo os Racionais MC’s, escuto eles na minha academia quase todos os dias e ouvimos o tempo todo nos treinos profissionais do Unity NYC. Aprendi sobre eles através do Murilo, ele costumava tocá-los nas aulas e eu adorei o ‘flow’, embora não soubesse o que diziam (risos). Fiquei louco e fui olhar as letras, aprender um pouco sobre eles. Hoje sou fã. Frequentemente escuto entrando para lutar, mesmo nos Estados Unidos.

– No backstage, depois da luta, você conversou com o Ice Blue, integrante dos Racionais. Como se sentiu?

Consegui conversar com o Ice Blue e foi bem louco na verdade, porque eu estava tão focado no torneio, que o Murilo me falou antes e eu não fui de jeito nenhum (risos). Mas pude conversar com ele depois e dizer o quanto sou fã, tirar uma foto. A música que eles fazem transcende o idioma, a cultura ou qualquer outra barreira que existe na sociedade, você pode sentir o significado das músicas na forma que eles passam.

– Pensa em retornar mais vezes ao Brasil e, futuramente, disputar o Campeonato Brasileiro de Jiu-Jitsu?

É tão incrível lutar no Brasil que não há lugar igual, e sério. Espero voltar muito em breve, treinar e curtir com o Leandro Lo e a galera da Gracie Morumbi. E sim, estarei lutando no próximo Campeonato Brasileiro (quando voltar). Já lutei uma vez, de faixa colorida, deu tudo certo, então mal posso esperar para lutar na faixa-preta.

* Por Diogo Santarém

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade