Carlos Boi projeta duelo com ex-campeão Arlovski e diz: ‘Não vou pegar uma mosca morta’

Publicidade

* Em grande fase, o peso-pesado Carlos Boi vai em busca da sua quarta vitória seguida no Ultimate no dia 16 de outubro, quando irá enfrentar o ex-campeão Andrei Arlovski pelo card do UFC Vegas 40. A proposta do combate partiu do próprio brasileiro, que após derrotar Jake Collier em junho, lançou um desafio ao veterano.

Em entrevista à TATAME, Boi falou sobre a ideia de enfrentar Arlovski, atualmente aos 42 anos, e que apesar de o ex-campeão se fazer de “doido” no início das conversas, demorou pouco tempo até ele assinar o contrato.

“Na verdade, não foi difícil fechar a luta. Citei três nomes após o meu último compromisso, um deles era o Arlovski. No começo ele se fez meio de doido, abriu até uma caixinha de perguntas no Instagram, falaram de mim e ele disse que não me conhecia, mas algumas semanas depois assinou o contrato. Então, foi bem tranquilo. Dei uma provocada, claro, e deu tudo certo”, explicou Carlos, que continuou sua análise:

“Já vi várias lutas dele quando era campeão, e a escolha pelo Arlovski é por eu achar que ele é um cara que vai me propor um desafio maior. É o nome ideal para eu dar meu próximo passo e seguir crescendo no UFC”.

 

Andrei Arlovski foi campeão dos pesados do UFC entre 2005 e 2006. Depois, passou por outras organizações e retornou em 2014. Desde então, viveu altos e baixos. A fase, porém, é positiva, vindo de vitória sobre Chase Sherman, em maio. Nas últimas quatro lutas, o lutador da Bielorrússia anotou três triunfos e uma derrota.

“Por ele ser um ex-campeão, tem um peso a mais, é uma boa escada. E querendo ou não, ele vem de um retrospecto bom. Ele enfrentou caras acima na divisão, está bem ainda, ativo no jogo. Não vou pegar uma mosca morta. Acho que a luta será bem movimentada. O Arlovski hoje joga de forma mais inteligente, eu bato, você bate, mas ele não vai achar espaço comigo para fazer isso porque irei pressioná-lo o tempo todo”.

Atualmente aos 26 anos e vivendo seu “melhor momento até hoje”, segundo o próprio, Boi ainda não está satisfeito. Em busca do sonho de se tornar campeão do UFC, o baiano, dono de um cartel com 11 vitórias e um revés no MMA, garantiu que seguirá evoluindo: “Posso dizer que vocês estão vendo um Carlos em construção. A evolução é importante, nunca acaba, então trabalho para isso, continuar indo atrás dos meus objetivos”.

* Por Diogo Santarém

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade
Publicidadespot_img