Casamento adiado, obras atrasadas e perda de bebê: Diego Ferreira supera problemas em busca da sétima vitória seguida no UFC

Publicidade

* Apesar da grande fase dentro do octógono, com seis vitórias seguidas, Carlos Diego Ferreira teve um 2020 difícil – como a maioria das pessoas – por causa da pandemia de Covid-19. Sem lutar há pouco mais de um ano, o peso-leve do UFC precisou adiar a cerimônia do seu casamento, o término da construção da sua casa nos Estados Unidos e, além disso, sofreu com a perda de um bebê enquanto a esposa ainda estava grávida.

Os problemas foram muitos, mas em entrevista à TATAME, Diego Ferreira garantiu que seu foco agora é no futuro. Com outros três filhos e muitas contas para pagar, conforme o próprio brincou, o brasileiro retorna ao octógono no próximo sábado (6), quando terá uma importante luta contra Beneil Dariush no card principal do UFC Vegas 18, em Las Vegas (EUA). No main event, Overeem e Volkov duelam pelos pesos pesados.

“A pandemia atrapalhou bastante os planos, pois eu queria lutar pelo menos três vezes no ano passado, mas não consegui, então a pandemia tirou muito de mim. Eu queria casar na igreja com a minha esposa (apesar de já morarmos juntos), a gente está construindo nossa casa, mas não conseguimos continuar pelo lado financeiro, pelas restrições. Além disso, minha esposa estava grávida e perdemos o bebê. Então, foi um ano bem difícil pra mim 2020, e por isso mesmo a expectativa é ótima para voltar ao octógono. Estou 100% focado nessa luta agora, é um combate que eu estava esperando há bastante tempo, e muito feliz em poder voltar a lutar. Não posso ficar me amargurando pelos problemas. Quero começar 2021 com o pé direito e fazer este ano ser melhor que o último”, disse o lutador, inspirado em mostrar sua melhor versão para a família e alunos.

“A luta pra mim vai muito além (de ser apenas um trabalho). Eu tenho três filhos, e quero mostrar para eles que não importa, a vida é dura com você, então você tem que ser mais duro com ela. Caiu, levanta e bola pra frente. Se a vida me botar para baixo eu vou ficar lá? Não. E o esporte me ajuda muito nisso. Tenho a minha família, minha própria academia e quero que os meus alunos me vejam como um treinador, mas também um lutador na vida, pessoal e profissional. Quero ser um modelo para meus filhos e alunos”, complementou.

Diego Ferreira vai em busca da sua sétima vitória consecutiva, porém, sabe que o desafio não será fácil. Assim como ele, Dariush também vem embalado, com cinco triunfos, e vive a melhor fase da sua carreira. Com ambos já no Top 15 do ranking peso-leve, um resultado positivo pode significar um salto importante.

“Estou bastante focado (em crescer no peso leve), tenho alguns nomes em mente para enfrentar, mas quero esperar um pouco. Primeiro tenho que enfrentar o Darisu, para depois chegar no Top 5, e isso vai acontecer quando for a hora. Pretendo lutar mais duas vezes esse ano, pelo menos. Todos os meus familiares, amigos, alunos e fãs estão esperando uma boa luta, então é isso que eu quero dar pra eles”, afirmou o brasileiro, décimo colocado no ranking da categoria, e que projeta um bom espetáculo para os fãs de MMA.

“Acho que vai ser um bom show (o duelo contra Dariush). Eu quero lutar, sair na porrada de verdade, estou pronto para os três rounds, para sangrar, para tudo que for preciso. Estudei bastante o jogo dele, nós dois melhoramos bastante (desde a primeira luta, em 2014, com vitória de Beneil), estamos numa fase muito boa da nossa carreira, então para mim é uma satisfação fazer essa revanche com ele. Estou preparado”.

Por fim, o líder da Team Ferreira BJJ ainda comentou a situação de momento na divisão dos leves do UFC, que tem Khabib Nurmagomedov como campeão, mas aposentado, e uma série de atletas como Dustin Poirier, Michael Chandler, Charles do Bronx e Conor McGregor “brigando” para ver quem disputa o cinturão após ele vigar vago. “Eu queria ver Poirier x Do Bronx. São dois caras que estão lutando muito e há bastante tempo. O Do Bronx derrotou o Ferguson, um dos melhores da divisão, então acho que ele tem muito potencial para essa luta. Espero que seja isso, porque não pode ser uma trilogia entre Poirier e McGregor”, encerrou.

CARD COMPLETO:

UFC Vegas 18
UFC Apex, em Las Vegas (EUA)
Sábado, 6 de fevereiro de 2021

Card principal (22h, horário de Brasília)
Peso-pesado: Alistair Overeem x Alexander Volkov
Peso-galo: Cory Sandhagen x Frankie Edgar
Peso-leve: Michael Johnson x Clay Guida
Peso-mosca: Alexandre Pantoja x Manel Kape
Peso-galo: Cody Stamann x Askar Askar
Peso-leve: Carlos Diego Ferreira x Beneil Dariush

Card preliminar (19h, horário de Brasília)
Peso-meio-pesado: Mike Rodriguez x Danilo Marques
Peso-galo: Martin Day x Timur Valiev
Peso-casado (até 72,6kg): Devonte Smith x Justin Jaynes
Peso-mosca: Molly McCann x Lara Procópio
Peso-pena: Seung Woo Choi x Youssef Zalal
Peso-galo: Karol Rosa x Joselyne Edwards
Peso-galo: Ode Osbourne x Jerome Rivera

* Por Diogo Santarém

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

Publicidade