Coluna da Arte Suave: a importância de pensar no Jiu-Jitsu como um todo através de lições e ensinamentos; leia

Publicidade

* Todos nós desejamos que esses dias difíceis acabem logo, que essa pandemia vire passado e que possamos voltar os nossos trabalhos, com academias liberadas, colégios, praias e tudo mais. Que tudo retorne ao normal, e que nessa volta aos treinos, também possamos atualizar nossos conceitos sobre Jiu-Jitsu. 

Pensando nos meus treinos, meus melhores são aqueles que treino arriscando. É claro e sempre escrevo, finalizar é melhor do que ser finalizado. Todo treino sempre nos traz ensinamentos, assim como competir também. Mas o pós-treino também é muito importante e ainda faz parte do treino, porque é o momento de refletir sobre suas lutas: um Jiu-Jitsu mental. Nesses dias atuais, creio que temos bastante tempo para pensar e repensar em nossas lutas, e até em conversas sobre a nossa arte suave.

Numa dessas conversas com os GMs Reyson Gracie e Robson Gracie, falamos em como é importante arriscar movimentos, ir para frente. Acredito também ser importante estar sempre voltando às origens do nosso Jiu-Jitsu. Não podemos esquecer conceitos importantes sobre a nossa arte suave, como a Defesa Pessoal. Nesta conversa, o GM Reyson Gracie me disse um conceito que entendo perfeitamente.  

“Tenha o Jiu-Jitsu como mais um meio de aperfeiçoamento e busca por autoconhecimento”. O Jiu-Jitsu é uma arte que tem de ser vivenciada nos dojos. Vivenciar o Jiu-Jitsu eu creio ser a melhor expressão para esses momentos. O Jiu-Jitsu possui um grande potencial, que é um excelente agente transformador e formador de pessoas de qualquer idade e classe social. Como diz o GM Reyson: “O Jiu-Jitsu, à medida que dá maior autoconfiança ao indivíduo, elevando sua autoestima, contribuindo de forma decisiva na formação da personalidade e do caráter, tem seus resultados comprovados pela melhoria da qualidade de vida”. 

Muitas posições surgem no decorrer dos tempos, sendo executadas exaustivamente, como se fossem chancelas de estar fazendo o Jiu-Jitsu atual, mas vejo as técnicas como atemporais. Os fundamentos não podem ser esquecidos, porque são os pilares que sustentam nossa arte suave. Outra frase que escutei do GM e que acho excelente é: “A arte de vencer cedendo, a arte do virtuoso e a flexibilidade combativa”. 

O Jiu-Jitsu, também dito como xadrez do corpo, requer o uso da inteligência para se criar uma estratégia. Vejo o Jiu-Jitsu como uma filosofia de vida. Acredito que o Jiu-Jitsu bem orientado por professores bem formados pode ter um grande alcance como formador de pessoas. Um Jiu-Jitsu com enfoque educacional e que de maneira nenhuma deixará de descobrir atletas com grande potencial para competições. 

Para mais informações, veja https://www.instagram.com/luizdiasbjj/ ou entre em contato pelo e-mail [email protected] Também conheça o http://www.geracaoartesuave.com.br/. Oss!

* Por Luiz Dias

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade