Coluna Dicas de Coach: como deve ser a atitude do lutador em ‘tempos de crise’; saiba mais e opine

Publicidade

Hoje, começo esse artigo com duas perguntas: Por que você luta? Para que você treina?

Na maioria das vezes, escuto respostas como:

– Treinar é tudo pra mim
– Alivia o meu stress
– Esqueço os problemas
E a campeã de todas as respostas é:
– Ganho autoconfiança

Lutar, realmente, é algo fascinante e eu concordo com todas estas respostas. Mas será que essa “autoconfiança” conquistada nos treinos está relacionada somente à sua segurança física?

Em seu novo artigo, Andrey Figueiredo fala especificamente sobre a postura de um lutador (Foto Divulgação)
Em seu novo artigo, Andrey fala especificamente sobre a postura de um lutador (Foto divulgação)

Quero abordar um pouco mais dessa qualidade campeã chamada autoconfiança. Essencial, principalmente, para os tempos que estamos vivendo. Há alguns anos atendendo atletas e profissionais, percebi que as qualidades e competências exigidas para se ter sucesso em ambas as áreas são as mesmas. Esporte e carreira profissional estão bem conectados.

Porém, tenho notado que, por falta de consciência, lutadores estão deixando na academia a maior parte destas competências. E alguns, quando se deparam com seus desafios profissionais, são inseguros, ansiosos e com pouca autoconfiança. Por isso, o outro lado é tão importante.

Quando você está treinando, não são somente técnica e força que estão sendo desenvolvidas, mas também competências essenciais para ser um profissional bem sucedido.  Por exemplo, confira:

– Perseverança
– Visão estratégica
– Resiliência
– Criatividade
– Ética
– Liderança
– Evolução
– Gerenciamento de crise
– Controle emocional

Mas como fazer para levar todo este valoroso treinamento da academia para sua vida e aumentar sua autoconfiança diante dos desafios? Bom, aí vai uma dica do coach para isso:

Tenha consciência na hora da Reverência. Geralmente, fazemos a saudação final de forma mecânica, com pressa ou com um simples: “Obrigado pelo treino”. Experimente, ao reverenciar o seu mestre e o dojo após o treino, agradecer mentalmente todas as qualidades que foram trabalhadas ali. Tente identificá-las (pode usar esta pequena lista deste artigo), e se comprometa a utilizar muito bem o que treinou diante dos desafios da sua vida.

Dê mais importância a este momento de reverência. Algumas vezes, pergunto aos companheiros de treino: o que você aprendeu hoje aqui que possa te ajudar lá fora? As perguntas e respostas funcionam como se estivéssemos afiando nossas espadas e nos aproximam uns dos outros.

A crise pode parecer uma guerra. Tenha consciência de que você é um guerreiro treinado, preparado e equipado para vencer e não está sozinho. Faça seus desafios saberem disso.  Grande abraço.  Oss!

Para maiores informações, veja: http://coachandrey.com.br/inicio ou entre em contato por e-mail [email protected] / https://www.instagram.com/coachandreyfigueiredo/.

Publicidade

Notícias relacionadas

1 COMENTÁRIO

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade