Coluna Treinamento Desportivo: entenda mais sobre a imersão em água gelada e sua importância; confira

Publicidade

* A imersão em água gelada vem sendo bastante utilizada entre atletas para minimizar a fadiga e aumentar a recuperação pós-exercício. A recuperação curta e acelerada pode melhorar o rendimento na competição, permitindo cargas de trabalho mais altas ou aumento do efeito de uma carga de trabalho. 

Para essa matéria, convidamos nosso Colunista Diego Lacerda, o atleta de Jiu-jitsu Paulo Henrique Polimeno (@phpolimeno), proprietário da Flow Martial Arts na Gold Coast – Austrália (@flowma_) e seu preparador físico e ex-triatleta, Taylor Cecil (@taylorcecil), que vem desenvolvendo um trabalho de controle respiratório em situações adversas com atletas de diversas modalidades e níveis.

Existem mecanismos reais de adaptação ao frio através do Sistema Nervoso, Cardiovascular, Endócrino e Muscular. 

Existem pelo menos três respostas principais à imersão em água gelada:

1) Aumento da taxa metabólica para manter o centro aquecido (proteger o que é importante) e ligar o “forno” interno com a liberação dos ácidos graxos de forma livre (gordura) e glicose.

2) Liberar o que não é mais importante – isto é temporário, mas a restrição dos vasos sanguíneos e capilares nas extremidades e até mesmo o corpo “ensina” a elasticidade, além de apenas espalhar o calor. 

3) Com o aumento da taxa metabólica (efeito 1), o corpo também solicita a vasodilatação quando o corpo aquece internamente alternando com vasoconstrição. Isso permite que todos os processos dos sistemas acima mencionados trabalhem muito bem. 

Hoje já se sabe que a respiração é influenciada pelo que está se passando no cérebro. Nossas emoções, dores ou qualquer pensamento, levam à uma taxa de respiração diferente se não estivermos conscientes dela.

A imersão em água gelada é uma ótima maneira de trabalhar os aspectos psicológicos do treinamento e influenciar os benefícios fisiológicos. Desafiar-se conscientemente a um banho de gelo calmo pode permitir que você assuma o controle do sistema nervoso simpático (estado ativo / estresse) e ensine o corpo a evitar pânico durante o desconforto (especialmente em conjunto com uma respiração específica). Isso pode influenciar positivamente sua capacidade de aprofundar suas sessões de treinamento e aumentar seu limiar.  Simplificando, o banho de gelo pode treinar seu cérebro para lidar com a intensidade, reativar o sistema nervoso parassimpático (estado de repouso / fluxo) e aumentar seu desempenho no treinamento.

printcoluna12
Paulo realiza a banheira de gelo e na foto da direita, o treinador Taylor Cecil e Paulo

Aplicações práticas:

Taylor realiza a respiração diafragmática e nasal com Paulo durante 10-15 minutos, com intuito de ativar o Sistema Nervoso Parassimpático, antes de entrar na banheira com gelo. O protocolo na imersão consiste em 4-8 minutos dentro de uma banheira com gelo em um temperatura por volta de -1 à 2 graus Celsius, realizando inspiração nasal profunda e lenta, e expiração pela boca e lenta também. 

Recomenda-se, ao final da sessão de imersão no gelo, tomar uma ducha de 2 a 5 min com água morna ou quente para voltar à temperatura normal do corpo e reduzir a chance de resfriados.

Mais informações podem ser encontradas em suas respectivas contas do IG:

Paulo Polimeno @phpolimeno
Taylor Cecil @taylorcecil
Flow M.A. @flowma_

Observação:

Recomendamos a ajuda de um profissional de educação física registrado no sistema CONFEF/CREF para desenvolver um programa individualizado.

Referências:

  1. Howatson G, Goodall S, van Someren KA. The influence of cold water immersions on adaptation following a single bout of damaging exercise. Eur J Appl Physiol. 2009;105:615–21.
  2. Gregson W, Black M, Jones H, et al. Influence of cold water immersion on limb and cutaneous blood flow at rest. Am J Sports Med. 2011;39(6):1316–23.
  3. Vaile J, O’Hagan C, Stefanovic B, et al. Effect of cold water immersion on repeated cycling performance and limb blood flow. Br J Sports Med. 2011;45(10):825–9.

Colunistas:

Stéfane Dias: PhD em Treinamento Desportivo – Rússia e Professor da Keiser University – USA/ e-mail: [email protected]/ Instagram: https://www.instagram.com/dr.stefanedias/

Fábio Vieira: PhD em Ciências do Movimento Humano e Professor do Centro Universitário UNIVAG – e-mail: [email protected] – Instagram: https://www.instagram.com/fabiosfvieira/

Diego Lacerda: Mestre em Treinamento Desportivo – Rússia – e-mail: [email protected] – Instagram: https://www.instagram.com/diegolacerdatkd/

Pavel Pashkin: Mestre em Treinamento Desportivo e Treinador Profissional de Sambo – Rússia – e-mail: [email protected] – Instagram: https://www.instagram.com/pashkinpavel 

 

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade