Com esporte ‘sólido’ no Catar, faixa-preta brasileiro anuncia criação da Vision Jiu-Jitsu e projeta medalhas no Europeu 2020

Publicidade

* O sucesso não aconteceu da noite para o dia. Foram necessários exatos nove anos para que Fabrício Moreira começasse a colher os frutos que plantou em Doha, no Catar. Pelo país árabe, o faixa-preta é peça chave na propagação do esporte e, por conta disso, a procura pela modalidade aumentou bastante. Já são cerca de 70 faixas-preta lecionando para os catarianos.

Por conta do sucesso e resultados de sua equipe, a Qatar BJJ, Fabrício notou o interesse de professores do Leste Europeu e Ásia para se filiar à sua escola e ter acesso à sua metodologia de ensino. Foi a partir desse desejo que ele resolveu criar, junto com o sheik Nasser Nawaf, uma nova equipe com o nome Vision, onde expressa a sua intenção com o esporte: olhar sempre para frente. A seguir, Fabrício explicou porque não manteve o nome da Qatar BJJ para os novos filiados e o que pretende com a nova criação da equipe de Jiu-Jitsu.

“Sem termos a intenção de usar o nome do nosso projeto, a Qatar BJJ, decidimos criar essa nova equipe para abrir os novos filiados. O sucesso do nosso trabalho gerou todo esse interesse de novos professores radicados em outros países e nós estamos felizes por poder compartilhar nossa visão do Jiu-Jitsu com outros praticantes do esporte. A Vision será uma total expressão e expansão do nosso projeto passando pela Europa e América também”, contou o experiente Fabrício Moreira, faixa-preta há 14 anos.

Faixa-preta de Jiu-Jitsu desde 2006, Moreira tem uma trajetória de respeito dentro do esporte. Campeão do Europeu e do Pan-Americano da IBJJF, o brasileiro também revelou o motivo de ter tanto prazer em investir.

“Eu sou apaixonado pelo esporte desde pequeno e hoje posso retribuir tudo o que este esporte fez por mim. Devo muito do meu sucesso como empresário ao Jiu-Jitsu, pois suas filosofias são facilmente aplicadas fora do tatame. Todo o investimento que faço é com meu próprio dinheiro e seguirei fazendo. Parte da minha missão é mudar vidas através do Jiu-Jitsu, e sigo firme e forte nessa caminhada”, afirmou.

Nesta semana, em Odivelas, Portugal, para ser mais preciso, o professor brasileiro está acompanhando cerca de 45 atletas que estão competindo no Campeonato Europeu 2020 da IBJJF. Encarada como “missão militar”, Fabrício Moreira destrinchou o que espera de seus pupilos no tradicional tatame azul.

“Estamos com um time razoável em quantidade, mas muito muito bom em nível técnico. Quero parabenizar o Helder Júnior pelo duplo ouro e ainda citar outros bons nomes da equipe que vão lutar como, por exemplo, Vinicius Marinho e Matheus ‘Tá Danado’. Nós temos uma expectativa de 15 medalhas”, projetou.

* Por Vitor Freitas

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade