Com quatro derrotas seguidas, Junior Cigano é demitido pelo UFC e projeta ‘nova fase’ na carreira; Alistair Overeem também é desligado

Publicidade

Ainda no fim de 2020, Dana White, presidente do UFC, revelou que a organização precisaria fazer “cortes sérios” em seu plantel de atletas. A afirmação, de fato, se confirmou, e nos últimos meses uma grande quantidade de lutadores não teve seu contrato renovado, além dos que foram dispensados pela companhia. O mais recente “facão” passou pelo peso pesado e atingiu dois dos principais atletas da categoria. Na última quarta-feira (3), foi confirmado que Junior Cigano e Alistair Overeem não fazem mais parte da franquia.

Atualmente com 37 anos, Cigano chegou ao UFC em 2008 e, de início, impressionou, emplacando uma sequência de sete vitórias – que o levaram à disputa de cinturão nos 120kg três anos depois. Diante do então campeão Cain Velásquez, o brasileiro teve uma atuação de gala, e em pouco mais de um minuto de combate, saiu vencedor por nocaute e conquistou o título dos pesados. O catarinense ainda chegou a defender a cinta com sucesso diante de Frank Mir, em 2012, mas no ano seguinte, teve Velásquez novamente pela frente e acabou sendo derrotado na decisão unânime dos jurados, perdendo o cinturão peso-pesado.

A partir daquela derrota, Junior Cigano entrou em uma fase mais instável da sua carreira, e embora tenha conseguido emplacar três triunfos consecutivos, entre 2018 e 2019, na sequência amargou quatro derrotas seguidas, a última um nocaute para Ciryl Gané, em dezembro do ano passado, resultado que culminou em sua demissão do UFC. Por meio das suas redes sociais, na noite da última quarta-feira, o brasileiro confirmou a saída do Ultimate e agradeceu à organização pelo período de mais de 10 anos em que lutou na companhia.

 

“Quero agradecer o UFC pelos meus 12 anos junto à organização. Passei pelos lutadores mais cascudos para conquistar minha chance ao cinturão. Conquistar e defender o cinturão foi uma das grandes honras da minha vida. Obrigado a cada adversário, cada fã, e cada crítico. Vou traçar meu novo começo, e estou empolgado para iniciar uma nova fase”, escreveu Cigano, que possui um cartel de 21 vitórias e nove derrotas.

Assim como o brasileiro, Overeeem também se pronunciou através das redes sociais e agradeceu pelos 10 anos de Ultimate: “A minha última corrida chegou ao fim, mas que corrida foi. Olhando para os meus 10 anos no UFC, essa foi a experiência de uma vida. Muito obrigado a todo o staff do UFC, aos fãs e lutadores que encontrei. Não poderia ter desejado qualquer outro plano de carreira melhor. Um agradecimento especial a Dana White e Lorenzo Fertitta por tornarem isso possível. Lutar por todos vocês foi uma grande honra”, postou.

Atualmente aos 40 anos, Alistair Overeem estava no Ultimate desde 2011 e chegou a lutar pelo cinturão, mas não teve sucesso. Em sua longa e vitoriosa trajetória no mundo das lutas, o holandês acumula passagens por K-1, PRIDE, GLORY, entre outras organizações. São mais de 60 lutas profissionais, com 47 triunfos e 19 reveses.

 

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade
Publicidadespot_img