Especialista em marketing digital, Bárbara Bruna explica como tráfego pago pode alavancar eventos de MMA

Publicidade

De 2020 para cá, aumentou exponencialmente o número de eventos de lutas que passaram a promover suas próprias transmissões, movimento já esperado, mas que foi antecipado devido à restrição de público nos shows por causa da pandemia de Covid-19. Graças a plataformas como Facebook e YouTube, as organizações brasileiras não dependem mais de espaços em canais de TV e ainda podem lucrar com a venda de pay-per-view, o que, nos Estados Unidos, é a principal fonte de renda das grandes companhias.

Os números das vendas de PPV dos eventos brasileiros, se comparados aos internacionais, ainda são pequenos, mas têm tudo para crescer se bem trabalhados. Uma das ferramentas que pode contribuir para isso é o tráfego pago, que nada mais é que aqueles posts patrocinados que aparecem nos sites e redes sociais anunciando produtos e serviços de interesse do dono do perfil. A diretora do Instituto Brasileiro de Tráfego Online, Bárbara Bruna Dias de Morais, explicou como a ferramenta pode alavancar o mercado.

“Vivemos em um momento no qual a oportunidade se une ao preparo. As pessoas estão consumindo ainda mais conteúdos online devido à pandemia, e mesmo ela passando, é um hábito que vai permanecer. Primeiramente, para ter sucesso no seu objetivo, é importante estudar sobre o funcionamento da ferramenta. Não basta apenas publicar qualquer coisa e pagar à plataforma para propagá-la, é preciso entender qual é o seu público alvo, o que ele quer receber e, o principal, como funciona o algoritmo, que é uma máquina buscando entender nossa cabeça, o que a gente quer. Se você entende como ele ‘pensa’, você consegue fazê-lo trabalhar a seu favor”, frisou a especialista no assunto.

Quem acompanha o cenário nacional percebe que a maioria dos posts pagos pelos eventos se baseiam em pôsteres e pequenos teasers animados. Para Bárbara Bruna, não só a companhia de lutas, como qualquer outra marca que queira vender seu produto ou serviço, deve investir na mensagem que chame a atenção do cliente, conceito básico do mercado publicitário, e que, ao mesmo tempo, o faça ir além do anúncio.

“Para qualquer anúncio nas redes sociais, tem outros ‘trocentos’ anúncios competindo pela mesma atenção; então, é muito importante se destacar, criar vídeos bem produzidos – mas ao mesmo tempo curtos, tipo ‘reels’. Para utilizar bem o algoritmo, é preciso explorar a trinca tempo, clique e resposta. Tempo é o quanto o seu post é interessante; clique, o quanto as pessoas clicaram para curtir e compartilhar; e resposta, o quanto as pessoas reagem aos posts. Utilizando bem esses comandos, os algoritmos leem e disseminam. Quanto mais assistido e com mais reações recebidas, mais ele é propagado e o seu resultado positivo”.

Com domínio de anúncios pagos para Facebook, Instagram, Google, YouTube e LinkedIn, Bárbara Bruna ministra cursos ao redor do mundo, tendo treinado mais de dez mil alunos, além de atuar em nove países e ter investido mais de 100 milhões de reais em campanhas específicas. Além dos cursos próprios, Bárbara Bruna também presta mentorias por meio do Sebrae, uma das maiores entidades nacionais de incentivo ao empreendedorismo, e é palestrante do TedX, conferência mundial destinada à disseminação de ideias.

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade
Publicidadespot_img