Especialista explica por que o CBD vem se tornando popular entre lutadores de MMA; saiba mais

Publicidade

Ainda tabu no Brasil, o canabidiol, mais conhecido como CBD, vem se tornando uma opção terapêutica para a recuperação de atletas de alto rendimento no mundo, como os lutadores de MMA. Disponível em diversas formas, que varia desde óleo até mesmo balas comestíveis, a substância traz diversos benefícios aos praticantes de esportes.

Médico da Ease Labs, laboratório farmacêutico referência no desenvolvimento e produção de produtos à base de cannabis no Brasil, Dr. Pedro Alvarenga listou os principais motivos que levaram o CBD a ser indicado por especialistas em medicina esportiva e, consequentemente, bastante utilizado por lutadores de MMA.

“Estudos comprovam que produtos à base de CBD têm um potencial anti-inflamatório, de recuperação muscular, controle da dor e melhora do sono, benefícios essenciais para a rotina de um lutador, que precisa de um sono reparador e um controle álgico adequado para um treinamento intenso o suficiente para garantir uma boa performance”, explica o especialista.

Mas não é só isso. Outro fator positivo do CBD é a possibilidade de proteção contra danos neurológicos, uma das maiores preocupações entre os lutadores de MMA, que passam a carreira sofrendo impactos no crânio. Seu efeito anti-inflamatório tem mostrado em pesquisas científicas proteção neuronal, o que seria um benefício muito importante nessa modalidade de esporte.

Vale destacar que, embora seja proveniente da cannabis sativa, o CBD não possui tetrahidrocanabinol (THC), psicoativo da planta que gera a dependência e euforia. Tanto é que a substância foi retirada da lista de proibições da Agência Mundial Antidoping (WADA). Apesar disso, é necessário acompanhamento médico e prescrição.

“A indicação médica se dá a partir de uma necessidade de tratamento. Um ponto importante para todos, especialmente para os atletas, é procurar por empresas sérias, qualificadas, que tenham um controle rígido de qualidade para não correr o risco de haver traços de THC, que ainda é considerado doping”, alerta o Dr. Pedro Alvarenga.

Uma pesquisa realizada no ano passado pelo vice-presidente sênior de Saúde e Desempenho do Atleta do UFC, Jeff Novitzky, mostrou que 80% de um total de 170 lutadores do maior evento de MMA do planeta entrevistados fazem uso de CBD para fins terapêuticos.

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade