Lucas Hulk vibra com título absoluto no Europeu e projeta participação no Pan: ‘O trabalho duro vai continuar’

Publicidade

Aos 25 anos, Lucas Hulk vive o melhor momento da sua carreira no Jiu-Jitsu. Após vencer peso e absoluto no Mundial No-Gi da IBJJF, em dezembro, o faixa-preta repetiu o feito ao dominar o absoluto do Campeonato Europeu, realizado neste mês de janeiro, em Portugal.

Depois de vencer três adversários, o faixa-preta fechou a final do absoluto com Keenan Cornelius, também atleta da Atos e companheiro de treino. Para garantir sua vaga na final do peso-aberto, Lucas finalizou Tommy Langaker no estrangulamento norte-sul. Mas antes, o campeão passou por Patrick Gaudio e Elioty Kelly, este finalizado no estrangulamento relógio. Feliz com a boa fase na carreira, Lucas falou da conquista com o ouro absoluto e analisou a vitória sobre Tommy, que vinha de grande finalização sobre Erberth Santos.

“A sensação é incrível. Como venho de vitórias em dois campeonatos importantes (Mundial No-Gi e Europeu) do Jiu-Jitsu, sabemos que estamos no caminho certo e que o trabalho que a gente está fazendo não está sendo em vão. Estamos fazendo tudo certo. Estou feliz demais e espero que continue assim no Pan e no Mundial. O trabalho duro vai continuar”.

“Sobre a luta com Tommy, sabia que ele não era um oponente fácil. Já havia treinado com ele na Atos um tempo e sabia que ele não era bobo. Lutei estratégico com ele, porque sabia que ele tinha finalizado o Erberth no triângulo e o Renato Canuto no armlock, na mesma pegada que ele faz na gola e manga. Eu tentei ficar quebrando ali e emborcando ele. Quando emborquei, ele virou, e eu sabia que ele ficava muito de cabeça para baixo jogando a perna por cima. Dali, fui para o estrangulamento norte-sul e foi quando eu consegui botar pressão. Quando conseguir passar a guarda, só esperei mesmo, tentando não perder a posição do estrangulamento. É uma finalização que venho fazendo muito e quando ele deu a brecha do pescoço, eu abracei e finalizei”, comentou Hulk, que optou por não lutar no pesadíssimo para descansar seu corpo depois de uma maratona no absoluto.

Agora, o pupilo do casca-grossa André Galvão já pensa nos próximos desafios antes do Campeonato Pan-Americano da IBJJF, agendado para os dias 8, 9, 10 e 11 de março.

“Tenho uns campeonatos em mente, os Opens da IBJJF. Pretendo lutar antes do Pan, mas o foco mesmo para o próximo grande campeonato é o Pan. Os Opens são mais para adquirir experiência mesmo e manter o ritmo de competição, importante”, encerrou Lucas.

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade