Lutador é acusado de matar médico após debate sobre vacina

Lutador de MMA russo foi indiciado pela polícia de Guam por assassinato e agressão após esfaquear Mirian Rabati, o médico de 44 anos

Publicidade

Um crime bárbaro aconteceu na ilha de Guam, que é um território na Oceania controlado pelos Estados Unidos. O lutador de MMA, Akmal Khozhiev, está sendo acusado de matar um médico após debate sobre a vacinação de Covid-19. O jornal Pacific Daily News informou que o lutador russo, que tem apenas quatro lutas como profissional (quatro vitórias e uma derrota), foi indiciado por assassinato e agressão após esfaquear Mirian Rabati, o médico de 44 anos.

A polícia recebeu a ocorrência sobre uma gravíssima confusão na vila de Tamuning. Assim que os agentes chegaram ao local, encontraram o lutador coberto de sangue, desnorteado e dizendo que havia matado o médico. Naquele momento, os policiais imediatamente deram voz de prisão ao atleta e viram o corpo de Rabati ensanguentado – sem apresentar qualquer sinal vital.

As testemunhas afirmaram que os dois homens estavam jantando, quando iniciou a discussão sobre as vacinas da Covid-19. Khoziev inicialmente teria enforcado Rabati, depois o atacado com um osso e o esfaqueou. Algumas pessoas no local tentaram separar, mas não tiveram sucesso.

O lutador de MMA acusado de matar um médico após um debate sobre a vacinação de Covid-19 teve fiança estipulada em US$ 1 milhão (aproximadamente 5,5 milhões de reais). 

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade