Max Holloway tem atuação impecável e aplica surra em Calvin Kattar no UFC Fight Island 7; brasileiros Carlos Boi e Vanessa Melo vencem

Publicidade

Ex-campeão peso-pena do Ultimate, Max Holloway mostrou, neste sábado (16), em Abu Dhabi (EAU), na luta principal do UFC Fight Island 7, porque dominou a categoria entre 2017 e 2019, desbancando nomes como José Aldo, Frankie Edgar e Brian Ortega. Diante de Calvin Kattar, sexto colocado no ranking da divisão, Holloway foi completamente dominante e protagonizou um verdadeiro show, vencendo por unanimidade. Representando o Brasil, o peso-pesado Carlos Boi e a peso-galo Vanessa Melo também venceram.

No co-main event, os veteranos Matt Brown e Carlos Condit, 40 e 36 anos, respectivamente, mostraram que ainda têm gás para proporcionar um bom combate aos fãs. Com um excelente jogo agarrado, Condit ditou as ações e sofreu poucos sustos contra um resistente Brown, levando por decisão unânime dos jurados (triplo 30-27) ao fim dos três rounds. Questionado sobre quem gostaria de enfrentar no peso meio-médio, Condit, que após ter cinco derrotas seguidas agora vem de dois triunfos, deixou a escolha nas mãos do Ultimate.

Holloway dá surra histórica em Kattar

Em busca de recuperar o cinturão dos penas, Max Holloway entrou com tudo no embate principal em Abu Dhabi. Com um vasto repertório de golpes em pé, o havaiano literalmente “amassou” Calvin Kattar durante os cinco rounds. O americano, incrivelmente, conseguiu resistir, mas não assustou o ex-campeão.

Contando com o apoio da torcida – no primeiro evento do UFC com público desde o início da pandemia de Covid-19 -, Holloway desfilou no octógono. Foram mais de 200 golpes conectados na cabeça, cotoveladas, ganchos na linha de cintura e uma atuação de gala. Até o fim do quinto round, ele fez o que quis na luta.

No quinto e último assalto, mostrando um gás quase que interminável, Holloway seguiu em cima, deixando o rosto de Kattar desfigurado para vencer por decisão unânime (50-43, 50-43, 50-42). Antes, porém, sobrou tempo para provocar ao abaixar a guarda, lembrando Anderson Silva, e bailar mais uma vez no cage enquanto pedia pelo cinturão para Dana White. Uma verdadeira aula de MMA do havaiano, que se recuperou dos dois reveses para Alexander Volkanovski – atual detentor do título – e se aproxima de uma trilogia.

Chinês atropela Ponzinibbio em volta

Convocado para substituir Muslim Salikhov, o chinês Li Jingliang deu um show contra o argentino Santiago Ponzinibbio. Sem lutar há mais de dois anos, o ex-TUF Brasil se tornou presa fácil para Jingliang em duelo pela divisão dos meio-médios. Impondo pressão desce o início, o chinês não demorou para tentar uma combinação 1-2, e com um cruzado de esquerda, desmontar Ponzinibbio. Com o resultado, “The Leech” voltou a vencer após perder para Neil Magny, enquanto o argentino teve uma série de sete triunfos interrompida.

Nocautes agitam o card principal

Se todas as lutas preliminares foram decididas pelos jurados, o card principal começou com tudo em Abu Dhabi. Logo no primeiro combate, pelo peso médio, Punahele Soriano derrotou Dusko Todorovic por nocaute técnico no primeiro round, em grande atuação, e aumentou sua invencibilidade no MMA para oito vitórias.

Também no assalto inicial, Alessio Di Chirico nocauteou o favorito Joaquin Buckley – responsável pelo “nocaute do ano em 2020” – com um chutaço na cabeça. Sofrendo na mesma moeda em que se notabilizou no UFC, Buckley recebeu uma canelada na tampa, caindo apagado na mesma hora. Muito emocionado após a luta, o italiano celebrou reencontrar o caminho das vitórias depois de três derrotas consecutivas.

Boi ganha guerra de pesos pesados

No encontro de pesos pesados entre Carlos Boi e Justin Tafa, melhor para o brasileiro. O australiano até começou bem, apostando nos chutes, principalmente baixos, e castigando Boi. Em vantagem, Tafa continuou chutando, mas viu sua tática ir por água abaixo quando Carlos acertou um soco que desnorteou o rival.

A partir da metade do segundo assalto, o brasileiro foi com tudo pra cima e quase conseguiu o nocaute, com os dois atletas na trocação franca durante os últimos segundos. No terceiro round, a emoção continuou, e com um desfecho dramático, o baiano Carlos Boi foi declarado vencedor por decisão dividida dos jurados.

Brasileira vence a primeira no UFC

Pressionada após acumular três derrotas em três lutas no UFC, Vanessa Melo começou o combate diante de Sarah Moras tentando impor seu jogo e dominando o centro do octógono, mas sem muita efetividade, com Moras mostrando uma esquiva em dia. No segundo round, os golpes da brasileira começaram a surtir efeito.

Precisando do nocaute ou de uma finalização, a canadense tentou ir para o tudo ou nada no início no terceiro round, mas logo voltou a ser pressionada por Vanessa, que seguiu ditando o ritmo da luta para vencer por decisão unânime dos jurados. Foi o primeiro triunfo da peso-galo paulista em quatro apresentações no UFC.

RESULTADOS COMPLETOS:

UFC Fight Island 7
Ilha da Luta, em Abu Dhabi (EAU)
Sábado, 16 de janeiro de 2021

Card principal 
Max Holloway derrotou Calvin Kattar por decisão unânime dos jurados
Carlos Condit derrotou Matt Brown por decisão unânime dos jurados
Li Jingliang derrotou Santiago Ponzinibbio por nocaute no 1R
Alessio Di Chirico derrotou Joaquin Buckley por nocaute no 1R
Punahele Soriano derrotou Dusko Todorovic por nocaute técnico no 1R

Card preliminar 
Joselyne Edwards derrotou Wu Yanan por decisão unânime dos jurados
Carlos Boi derrotou Justin Tafa por decisão dividida dos jurados
Ramazan Emeev derrotou David Zawada por decisão dividida dos jurados
Vanessa Melo derrotou Sarah Moras por decisão unânime dos jurados
Austin Lingo derrotou Jacob Kilburn por decisão unânime dos jurados

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade
Publicidadespot_img