Melissa Gatto revela ‘choque’ com ausência no UFC Rio, mas já projeta nova oportunidade: ‘Não vejo a hora’

Publicidade

Chamada às pressas para substituir Jessica-Rose Clark no UFC 237, que aconteceu no começo de maio, no Rio de Janeiro, Melissa Gatto acabou pegando todos de surpresa quando anunciou que não poderia lutar no evento. A lutadora foi impedida de competir pela Comissão Atlética Brasileira de MMA (CABMMA) por conta de uma infecção de pele que poderia colocá-la em risco no que seria a primeira luta da noite contra Talita Bernardo.

“Na terça (semana da luta) recebemos o médico da Comissão Atlética no meu quarto e ele disse que eu poderia lutar, que isso não me impediria. Na quarta-feira de manhã recebi uma ligação do meu empresário e ele me disse que estávamos fora do card. Foi um choque para mim, fiquei muito chateada. Pedimos uma reavaliação do caso, mas infelizmente eles já tinham tomado a decisão de que eu não poderia estrear no sábado. A Comissão é realmente muito rigorosa quando se trata da saúde dos atletas, mas já estou 100% e não vejo a hora de poder estrear no UFC”, detalhou a jovem atleta, de apenas 23 anos.

Substituída por Viviane Araujo, Melissa viu Talita Bernardo ser dominada – e derrotada – pela estreante no Ultimate. Dona de um cartel invicto onde ostenta seis vitórias e dois empates em oito confrontos, a campineira agora aguarda pela oportunidade de estrear no palco do UFC, o que deve acontecer em luta válida pela categoria dos moscas, divisão de origem da lutadora. Questionada sobre o pouco tempo de preparação que teve, Melissa lamentou o fato de ter sido impedida de lutar e sentir o carinho da torcida:

“Fiquei muito chateada por não poder estrear no UFC 237, a energia brasileira é incrível. Apesar de pouco tempo para treinar, eu fiz um excelente camp e estava preparada para o combate. Claro que, agora, terei mais tempo para poder treinar, ajustar os detalhes para o próximo compromisso e me preparar ainda mais para entrar em ação”, afirmou.

Para o seu debute na franquia, Melissa contou com uma ajuda de peso. Jennifer Maia, ex-campeã do Invicta FC e atualmente no plantel do UFC, auxiliou a lutadora de 23 anos na preparação do duelo que acabou não acontecendo no Rio de Janeiro. Feliz com a ascensão das atletas brasileiras dentro da organização, Melissa vibrou com a vitória da nova campeã Jéssica Bate-Estaca sobre Rose Namajunas na luta principal do UFC 237.

“Fiquei muito feliz pela Jéssica, representou nossa bandeira e conseguiu trazer mais um cinturão para o Brasil. A Rose é uma verdadeira campeã, mas a Jéssica foi melhor no sábado”, analisou Melissa, atleta da Spartacus Academy e da Team Bronx Cascável.

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade