Na primeira competição após as Olimpíadas, Brasil fatura uma medalha no Grand Prix de Judô

Publicidade

O Judô brasileiro começou o ciclo Paris 2024 com pódio. No último fim de semana, o novato Guilherme Schimidt, de 20 anos, conquistou a medalha de prata nos meio-médios masculino (81kg) do Grand Prix de Zagreb, na Croácia. Ele venceu três lutas e só parou na final diante do número um do mundo, Tato Grigalashvili. Essa foi a primeira medalha do atleta em Grand Prix.

Schimidt estreou nas oitavas-de-final, batendo o francês Tizie Gnamien por ippon com uma chave de braço. Nas quartas, superou Jose Maria Izquieta, da Espanha, por waza-ari, e avançou à semifinal, onde seguiu com o ritmo forte e superou o moldavo Dorin Gotonoaga, por ippon.

Na luta pelo ouro, Schimidt encarou o atual número um do mundo, Tato Grigalashvili, da Geórgia, que é vice-campeão mundial e quinto colocado nos Jogos de Tóquio. O adversário conseguiu um waza-ari de vantagem logo no início da luta sobre o brasileiro e administrou o placar até o fim. Apesar disso, Guilherme se manteve agressivo no combate, conseguiu forçar duas punições em Grigalashvili, mas não alcançou a pontuação para ficar com a vitória e ficou com a prata.

Dos sete representantes brasileiros em Zagreb, Natasha Ferreira (48kg) também chegou a disputar medalhas, mas perdeu o bronze e ficou em quinto lugar. O time brasileiro foi composto por judocas sub-23, em sua maioria, que começam a ganhar experiência internacional em competições adultas e a somar os primeiros pontos no ranking mundial. A próxima competição do Circuito Mundial será o Grand Slam de Paris, na França, nos dias 16 e 17 de outubro.

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade