Oscar do MMA nacional homenageia personalidades e premia os melhores de 2018; confira os vencedores

Publicidade

Uma das capitais mundiais da luta, Curitiba foi palco da 6ª edição do Prêmio Osvaldo Paquetá, o “Oscar do MMA nacional”, realizado no último sábado (19) na casa de show Selfie Brasil. O evento foi marcado por homenagens e também exemplos de superação.

Vale ressaltar o destaque para o estado do Amazonas, maior vencedor da edição, com quatro troféus: melhor equipe (Renovação Coari Team), melhor árbitro (Abraão Lincon), melhor announcer (Bilmar Pereira) e, fechando, melhor arte gráfica (Winicius Tarik).

O troféu de melhor lutador do ano foi para o peso-meio-médio de Rondônia Henerson “Neném”, que em 2018 venceu todas as três lutas. Na categoria feminina, o título foi para a paulista Ariane Sorriso, que também venceu todas as três lutas que fez no último ano.

O lutador revelação do ano foi Pacceli Afonso, de Pitangui, Minas Gerais. Aos 20 anos de idade, o peso-galo estreou profissionalmente em maio de 2018 e já venceu quatro lutas. No feminino, o troféu foi para a peso-galo paraense Paula Bittencourt, que também estreou em maio e venceu três oponentes desde então em sua trajetória no MMA profissional.

O nocaute do ano foi para as cotoveladas seguidas de um chute alto de Daniel Miojo, de Valença, interior do Rio de Janeiro. A finalização de 2018 ficou com a chave de panturrilha aplicada pelo carioca Cleiver Fernanandes sobre Thiago Castro no evento Mister Cage 36.

Homenagens na premiação

O ponto alto da cerimônia foi o momento em que Carmem Casca-Grossa foi aplaudida de pé por todo o público ao receber o troféu de honra ao mérito por ter feito, com Ana Carolina Pinho, uma das primeiras lutas de Vale-Tudo feminino do mundo. Na cadeira de rodas por conta de uma recente amputação de uma das pernas, a paraense fez questão de viajar a Curitiba para receber o título e emocionou a todos com o seu alto astral.

Os troféus de honra ao mérito foram batizados com o nome do saudoso mestre Zito, homenageado por família e amigos na abertura da festa. A lenda Rudimar Fedrigo fechou a noite, por toda a história construída no Muay Thai e no Vale-Tudo através da Chute Boxe.

Confira abaixo todos os premiados:

Lutador do ano: Henerson “Neném”
Lutadora do ano: Ariane Sorriso
Lutador revelação: Paccelli Afonso
Lutadora revelação: Paula Bitencourt
Luta do ano: Caionã “Blade” x Edy Silva no WOCS 51
Reviravolta do ano: Bia “Arlequina” sobre Alana Souza no SFT 6
Nocaute do ano: Daniel “Miojo” sobre Matheus Calabresa no Demolidor Fight 12
Finalização do ano: Cleiver Fernandes sobre Thiago Castro no Mister Cage 36
Equipe do ano: Renovação Coari Team
Treinador do ano: Gile Ribeiro
Fotografia do ano: Cassiano Correia
Arte gráfica do ano: Winicius Tarik
Árbitro do ano: Abraão Lincon
Announcer do ano: Bilmar Pereira
Cutman do ano: Tatiane Canivelo
Cage girl do ano: Raissa Fernanda
Card | Edição do ano: Shooto Brasil 85
Evento não televisionado: Favela Kombat
Evento televisionado: Shooto Brasil
Comunicador do ano: Rhodes Lima
Matéria do ano: Brasileira superou o vício em crack e prepara estreia no UFC – por Bruno Carvalho para o Portal UOL
Troféu Mestre Zito de Honra ao Mérito: Carmem Casca Grossa, Cintia Lima, Isabella Carvalho, Rudimar Fedrigo, Kimberly Novaes, Tays Lemos Seixas, André Deh Loco Amaral, Tatiane Canivelo, Leandro Mamute, Claudio Lopes e Renata Aymoré

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade