Pesquisa aponta que exercícios intensos no isolamento social podem prejudicar bem-estar mental durante a quarentena

Publicidade

*Praticar exercício é um hábito saudável, mas em tempos de distanciamento social é maior a dificuldade para manter uma rotina de atividades físicas, e a preocupação com a boa forma pode não estar sendo benéfica à saúde mental da população. Esta é uma das conclusões a que chegaram pesquisadores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), da Universidade Federal do Ceará (UFCE) e da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), que se uniram para realizar a pesquisa on-line “Efeitos da atividade física e do exercício sobre o bem-estar no contexto da pandemia de Covid-19”, entre os dias 31 de março e 02 de abril.

O objetivo da pesquisa era verificar se a prática de exercícios estava de fato sendo algo positivo durante o confinamento. A pesquisa investigou a relação entre as atividades físicas e o bem-estar das pessoas durante o período de quarentena, imposta pela pandemia do novo coronavírus desde março em diversas cidades do país. O estudo nacional ouviu 592 pessoas de todas as regiões do país e de quase todos os estados. Para participar, era preciso ter mais de 18 anos e estar em isolamento social por pelo menos uma semana. Entre os respondentes, 63% são mulheres e 37% são homens.

Segundo o professor Alberto Filgueiras, coordenador do Laboratório de Neuropsicologia Cognitiva e Esportiva (LaNCE) da Uerj, que coordenou o estudo, mulheres tendem a apresentar piores níveis emocionais em relação a exercícios físicos. Durante o período em que o estudo foi realizado, o sexo feminino foi o mais afetado pelo estresse causado pelo confinamento.

De acordo com o levantamento, indivíduos sedentários que passaram a se exercitar somente na quarentena, apresentaram piores níveis emocionais do que quem já praticava exercícios. Da mesma forma, aqueles que mantiveram uma rotina de exercícios e aumentaram a intensidade, também tiveram baixos índices de bem-estar, já os indivíduos que começaram a fazer os exercícios gradualmente mostraram um melhor nível de bem estar, estando mais saudáveis. Isso confirma que o aumento da intensidade em que as atividades são realizadas fazem mal para a nossa saúde.

O estudo analisou o bem-estar subjetivo com uma ferramenta psicométrica conhecida como Pamas, uma espécie de lista de afetos positivos e negativos. O afeto positivo reflete o quanto uma pessoa está entusiasmada, ativa e alerta, enquanto o afeto negativo é uma dimensão geral da angústia e insatisfação. Com isso, é possível analisar o quanto o indivíduo está satisfeito e confortável com a sua vida.

Uso de aplicativos

Segundo o estudo, a quarentena registrou um grande aumento no uso de aplicativos para auxiliar na prática de atividades físicas. Saltou de 4% para 60%. A falta de personalização dos treinos também causou frustração na grande maioria das pessoas entrevistadas.

Mudança de ambiente

Antes da pandemia, 27% das pessoas se exercitavam ao ar livre. A mudança de ambiente, para locais fechados, piorou o nível de satisfação dos praticantes. Os exercícios praticados antes da quarentena que envolviam contato físico – como esportes coletivos, academias e natação – foram substituídos por treinos de força física, que passou de 5,2% para 13,9%, e treinamento funcional, que aumentou de 4,4% para 49,3%, segundo o estudo.

“A prática de atividade física é extremamente benéfica à saúde física e mental, ainda mais no atual momento. Porém, é necessário avaliar a intensidade que esse exercício é realizado, para que não seja extremamente extenuante, e que não venha acompanhado de cobranças por resultados estéticos o que pode gerar frustrações e estresse”, conclui o especialista Rafael Fonseca, que é médico do esporte.

*Por equipe Dr. Rafael Fonseca

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade
Publicidadespot_img