Prestes a estrear no Brasileiro como faixa-preta, Fabricio Andrey destaca foco em busca de mais um título

Publicidade

* Com apenas 21 anos, Fabricio Andrey já é considerado um dos grandes nomes da nova geração do Jiu-Jitsu. Graduado faixa-preta em agosto de 2020 – pelas mãos do professor Melqui Galvão – o jovem venceu, desde então, o South America Continental Pro, Brasília International Pro e o Grand Slam de Miami, todos da AJP Tour, além de ter sido bronze no Pan da IBJJF, em setembro.

Em entrevista à TATAME, Fabricio relembrou sua participação no South America Pro, em junho, quando faturou os títulos da divisão até 69kg e do absoluto leve, além de uma premiação de mais de R$ 40 mil. As conquistas, por sinal, foram as primeiras do manauara na elite do esporte.

“Sou novo na faixa-preta, ainda tem muita coisa por vir pela frente. Dinheiro e título são apenas recompensas pelo meu trabalho duro, não foco muito nisso, apenas em dar o meu melhor a cada luta. Fiz um total de oito combates no torneio, fiquei feliz com a minha atuação (oito vitórias), mas não satisfeito. Voltarei com o jogo mais justo e afiado na próxima”, projetou ele.

A próxima parada de Fabricio Andrey acontece neste fim de semana, dias 2 e 3 de outubro, quando ele irá participar do Campeonato Brasileiro da CBJJ – na divisão dos penas -, que este ano acontece na Arena da Juventude, em Deodoro, no Rio de Janeiro.

Pronto para estrear na importante competição como faixa-preta, o manauara vai representar a equipe Fight Sports Brasil. Parceiro de longa data de Melqui e Mica Galvão – jovem que também é considerado uma das maiores promessas do esporte -, Andrey comentou a respeito:

“Depois do South America Pro fiquei em Manaus, treinando com o mestre Melqui. Ele é muito mais do que um professor, é um pai para mim, então o que ele decidir (sobre equipe), estou junto até o fim. Os treinos foram focados em força e gás, e o time me puxa todos os dias”, disse o jovem, que também mira o Mundial da IBJJF, marcado para dezembro, nos Estados Unidos.

“Para mim os treinos nunca pararam, e a expectativa é sempre a melhor em relação ao Mundial de Jiu-Jitsu. Estou me preparando todos os dias para chegar no meu melhor momento e ser campeão mundial no meu primeiro ano de faixa-preta”, encerrou o lutador de apenas 21 anos.

* Por Diogo Santarém

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade
Publicidadespot_img