Além de Adesanya, relembre outros ex-campeões do UFC que foram presos nos últimos anos

Ex-campeões do UFC, Jon Jones, McGregor, BJ Penn e Cain Velásquez também foram presos por diferentes polêmicas; saiba mais

Além de Adesanya, relembre outros ex-campeões do UFC que foram presos nos últimos anos

Ex-campeão meio-pesado do UFC, Jon Jones foi preso mais de uma vez ao longo dos últimos anos (Foto: Reprodução)

* Nem tudo são flores na carreira de um lutador de MMA, seja ele do UFC ou de alguma outra organização da modalidade. Carregado de estigmas, nem todo grande campeão é, obrigatoriamente, um causador de conflitos. Alguns deles sequer aparecem nos tabloides em notícias que não sejam relacionadas à carreira nas artes marciais mistas, levam vida pacata e dedicam-se à família.

Todavia, outros campeões e estrelas do esporte destoam desse comportamento, e por isso acabam virando manchetes de jornais, portais e demais meios de comunicação com atos inconsequentes. Tendo como gancho o caso do ex-campeão peso-médio do UFC, Israel Adesnaya, que foi detido na última quarta-feira (16) no aeroporto de Nova York (EUA) – mas já se encontra solto -, a TATAME trouxe uma lista de ex-campeões do UFC que se envolveram com a polícia.

Confira abaixo:

Jon Jones

Começamos a lista falando de um dos melhores lutadores peso por peso da história do MMA. Dono de um cartel com 26 vitorias e apenas uma derrota (desclassificação por golpe ilegal), Jon Jones teve alguns – muitos – problemas com a polícia norte-americana nos últimos anos. O ex-campeão meio-pesado do Ultimate já foi acusado de violência doméstica, lesão corporal, violação de veículo, dirigir sob efeito de álcool e uso negligente de arma de fogo.

Na grande maioria das vezes, Jon Jones foi solto após pagar fiança, mas em consequência das graves infrações, perdeu o direito de dirigir. Diante de todas essas polêmicas, “Bones” ficou afastado do UFC, sendo suspenso e perdendo o titulo da organização, além de ter sido expulso da sua antiga equipe. Muito se especula sobre uma possível volta do ex-campeão, agora na categoria dos pesados, entretanto, ainda não há uma definição de data e adversário para o retorno de Jon Jones ao UFC.

Conor McGregor

Dono de uma personalidade forte e explosiva, Conor McGregor não poderia ficar de fora da lista. Ex-campeão em duas categorias do UFC (peso-pena e peso-leve), o irlandês também se envolveu em algumas confusões. Além de ter sido preso por quebrar o aparelho celular de um fã, “The Notorious” já foi detido por direção perigosa em Dublin, na Irlanda, seu país natal.

Além disso, McGregor foi preso em Nova York (EUA) por protagonizar, junto com sua equipe, um ataque ao ônibus do Ultimate que estava com diversos atletas que, na ocasião, estariam em ação no UFC 223, realizado em 2018. O irlandês arremessou um carrinho de mão no veículo visando atingir Khabib Nurmagomedov, seu grande rival, mas acabou ferindo Michael Chiesa, atleta que também estava escalado para o evento. Em um caso que também chamou bastante atenção, Conor McGregor foi acusado de violência sexual e exibição sexual, mas comprovou inocência.

Ex-campeão duplo do UFC, Conor McGregor também coleciona polêmicas fora do octógono (Foto: Reprodução)

Ex-campeão duplo do UFC, Conor McGregor também coleciona polêmicas fora do octógono (Foto: Reprodução)

BJ Penn

Uma das lendas do UFC e ex-campeão da organização, BJ Penn foi, também, o primeiro estrangeiro a ganhar um campeonato mundial de Jiu-Jitsu na faixa-preta, em 2000, em plena Arena da Tijuca, tida por muitos como um dos maiores palcos do Jiu-Jitsu. Porém, o havaiano já teve alguns problemas com a polícia. Em 2015, por exemplo, esteve envolvido em uma confusão em uma casa noturna de Maui, no Havaí. Segundo testemunhas, uma discussão com um de seus amigos acabou gerando uma enorme confusão. Em 2021, BJ Penn retornou às páginas policiais ao ser preso por estar dirigindo sob influência de bebida alcoólica.

BJ Penn foi preso por se envolver em confusão e também por dirigir alcoolizado (Foto: Reprodução)

BJ Penn foi preso por se envolver em confusão e também por dirigir alcoolizado (Foto: Reprodução)

Cain Velásquez

Campeão peso-pesado do UFC em duas oportunidades, Cain Velásquez sempre foi um lutador que nunca havia sido mencionado por confusões fora do cage. No entanto, em 28 de fevereiro deste ano, o americano de origem mexicana foi preso por tentativa de homicídio, após realizar uma perseguição por cerca de 17km e atirar contra Harry Goulart, de 43 anos, indivíduo acusado de molestar seu filho, de apenas 4 anos.

O experiente lutador ficou preso por cerca de oito meses e foi solto no início de novembro, quando o juiz do caso estipulou uma fiança de 1 milhão de dólares para que o atleta responda pelo caso em liberdade. Fora isso, Cain passará a ser monitorado eletronicamente, fará tratamento psicológico e deverá manter distância mínima de 300m da família de Harry Goulart, além de cumprir um conjunto de termos que incluem, inclusive, o não uso de armas.

Ex-campeão peso-pesado do UFC, Cain Velásquez ficou preso por oito meses (Foto: Reprodução)

Ex-campeão peso-pesado do UFC, Cain Velásquez ficou preso por oito meses (Foto: Reprodução)

Israel Adesanya

Segundo nigeriano na história a conquistar o cinturão do UFC – o primeiro foi Kamaru Usman -, Israel Adesanya foi detido na última quarta-feira (16), no aeroporto de Nova York (EUA). Após recente confronto contra o brasileiro Alex Poatan na luta principal do UFC 281, Adesanya foi nocauteado no último round da disputa de cinturão peso-médio, amargando sua terceira derrota contra o brasileiro.

Poucos dias depois do combate, Israel foi detido no aeroporto por estar portando um “soco inglês”, artefato também conhecido como “soqueira”, que é uma arma branca feita de metal, com quatro orifícios para se encaixar aos dedos como anéis, causando mais dano e ferimento à vítima atingida por um soco. Em sua defesa, o nigeriano disse que recebeu o objeto de presente de um fã, mas colaborou com a polícia local e descartou o objeto para poder seguir viagem de volta à Nova Zelândia, onde reside.

Confira mais notícias sobre o UFC, aqui
  • Texto por Bruno Carvalho