Resumo do MMA: peso-pesado do UFC é suspenso, Bate-Estaca decola no ranking e PFL marca retorno dos eventos para abril

Publicidade

Lutador da categoria peso pesado do UFC, Chase Sherman aceitou uma suspensão de nove meses da USADA (Agência Antidoping dos Estados Unidos) após um teste positivo para a substância anastrozol, como resultado de uma amostra em período de competição coletada no início deste ano. O teste foi realizado em 13 de maio, dia da vitória por nocaute técnico de Sherman sobre Ike Villanueva no UFC on ESPN 29. A informação foi confirmada pelo site MMA Junkie na terça-feira (20).

De acordo com um comunicado divulgado pela USADA, “o anastrozol é uma substância especificada na classe dos moduladores hormonais e metabólicos e está sempre proibido, segundo a Política Antidoping do UFC e a lista de substâncias proibidas pela organização”. O atleta apresentou “evidências suficientes de que seu uso de anastrozol ocorreu antes de entrar no programa de testes”, mas não divulgou seu uso de anastrozol antes da luta. A sanção foi reduzida porque Sherman cooperou totalmente durante a investigação do caso e mostrou que não pretendia melhorar o seu desempenho com o uso da substância.

Uma vez que a suspensão é retroativa ao dia do teste, Chase Sherman estará apto a lutar novamente em 13 de fevereiro de 2021. O peso-pesado americano, atualmente com 30 anos, está em sua segunda passagem pela organização e vem embalado por quatro vitórias consecutivas no Ultimate, todas elas por nocaute.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Just really need a fight so I can go back to not being fat again. ??‍♂️? #heavyweight #itsbulkingseason #?? #ufc #mma #weighinday #ufcfightnight

Uma publicação compartilhada por Chase Sherman (@chase_sherman_ufc) em

Bate-Estaca assume primeira posição no ranking 

Após uma estreia impressionante na categoria peso mosca, nocauteando Katlyn Chookagian ainda no primeiro round, Jéssica Bate-Estaca tem motivos de sobra para comemorar. A brasileira, ex-campeã peso-palha, garantiu a primeira posição no ranking até 57kg do Ultimate, assumindo o lugar que era justamente de Chookagian. A divisão de peso, vale lembrar, tem como atual “rainha” a fera Valentina Shevchenko, que vai defender seu cinturão no dia 21 de novembro, pelo UFC 255, diante da brasileira Jennifer Maia.

Além disso, a atleta da PRVT subiu uma posição no ranking peso-por-peso feminino do Ultimate e está, agora, na quinta colocação, atrás apenas de Rose Namajunas, Valentina Shevchenko, Weili Zhang e Amanda Nunes, atual líder da lista e campeã dupla da franquia. No ranking peso-palha, Bate-Estaca caiu uma posição, que foi assumida pela ex-campeã Joanna Jedrzejczyk, e agora é a terceira colocada na categoria até 52kg.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Nunca desista dos seus objetivos! As vezes é preciso dar 2 passos para trás pra pegar impulso e dar um belo salto! ??❤️ . . ?PRVT Girls ??

Uma publicação compartilhada por Jessica Andrade “Bate Estaca” (@jessicammapro) em

PFL anuncia retomada dos seus eventos para 2021

Depois de anunciar o cancelamento da sua temporada em 2020 por conta da pandemia global do novo coronavírus, a PFL (Professional Fighters League) confirmou a retomada dos seus eventos. Na última terça-feira (20), a franquia divulgou as datas para a realização da temporada regular de 2021, que terá início no dia 23 de abril. Além da data de abertura, a companhia também definiu os dias 29 de abril, 6 de maio, 10, 17 e 25 de junho como outras datas para promover suas edições ao vivo, com transmissão da ESPN americana.

De acordo com a “NBC Las Vegas”, os eventos serão realizados em Las Vegas, nos Estados Unidos, atendendo todos os protocolos de prevenção à Covid-19, e contarão com as presenças da bicampeã olímpica Kayla Harrison e de Ray Cooper III, que já foram campeões na última temporada, disputada em 2019. Além disso, Rory MacDonald, Johnny Case, Olivier Aubin-Mercier e Bubba Jenkins, atletas recém-contratados pela organização americana, também estão confirmados para a disputa da temporada 2021.

A PFL, vale salientar, adota um formato de torneio. Na temporada regular, os lutadores são divididos em categorias de peso e a grande maioria realiza pelo menos duas lutas. A cada vitória, o atleta contabiliza pontos, e os oito melhores – por peso – se classificam. Ao fim, o campeão de cada classe leva US$ 1 milhão.

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade