Seleção brasileira de Boxe promove Base de Desenvolvimento feminino em São Paulo; saiba

O programa contou com a presença de dez boxeadoras e duas treinadoras, todas em busca de fomentar ainda o Boxe feminino

Seleção brasileira de Boxe promove Base de Desenvolvimento feminino em São Paulo; saiba

Equipe de base de desenvolvimento do Boxe feminino (Foto: Reprodução)

O começo de fevereiro marcou o cronograma cheio no Centro de Treinamento da Confederação Brasileira de Boxe, em São Paulo (SP). No último fim de semana foi finalizada a primeira Base de Desenvolvimento feminino, que contou com a presença de dez boxeadoras e duas treinadoras, todas em busca de fomentar ainda mais a modalidade entre as mulheres, com intuito de melhorar tanto resultados como bem-estar das atletas.

“Essa foi a primeira base de treinamento, e foi bastante produtiva. Ter a presença de mulheres para trabalhar com a gente é muito bom, mostra que o Boxe está de portas abertas para todas nós”, relatou Beatriz Soares, atleta da Seleção Brasileira.

A Base teve início no último dia 19 e, durante todo o período, a equipe se dividiu entre os treinos técnicos, físicos, escola de combate e sparrings. A principal importância desse treinamento é para o desenvolvimento das meninas que ainda estão fora da seleção e equipe permanente.

“Esse treinamento dá estímulo para as meninas não perderem o foco. Com isso, elas percebem que as oportunidades para entrar na seleção estão por vir. Para nós, que somos da equipe técnica, é ótimo, porque assim conseguimos observar as meninas que não estão aqui. Conseguimos pensar em quem futuramente irá para a equipe permanente e para os próximos Jogos Olímpicos”, explicou Suelen Souza, técnica da seleção brasileira.

Atletas de várias partes do país estiveram em São Paulo para o programa. Com veteranas e novatas, todas passaram pela avaliação da equipe multidisciplinar, com início na anamnese logo na chegada do primeiro dia. As participantes tiveram a oportunidade de serem avaliadas pelo fisioterapeuta, médica, nutricionista e psicóloga que atendem a Equipe Olímpica Permanente. Ao final do treinamento cada especialista encaminha o relatório das pacientes, avaliando a condição física de cada uma das meninas.

“Foi muito bom, porque além de avaliar a parte técnica, a gente também vê a questão de disciplina, comprometimento. Essa mistura de atletas de vários lugares é bem legal. É muito importante ter esse espaço que o boxe proporciona para o público feminino aos poucos está aumentando, já temos o exemplo na seleção e agora também com essas meninas da base”, disse a treinadora Gabrielly Morais, de São José dos Campos.

Para mais notícias sobre Boxe, clique aqui