Seleção brasileira vai bem no último dia e fecha Grand Prix de Judô em Tel Aviv com cinco medalhas; veja como foi

Publicidade

O Judô brasileiro abriu o ano olímpico no pódio. E a primeira medalha do país na temporada 2020 tem nome e sobrenome: Daniel Cargnin. O atleta da categoria meio-leve (66kg) faturou o terceiro lugar no Grand Prix de Tel Aviv, em Israel, após vencer quatro lutas e derrotar, na luta pelo bronze, o israelense Baruch Shmailov, número seis do ranking mundial. Além do pódio, o terceiro lugar renderá ao brasileiro mais 350 pontos para o ranking mundial da IJF, importantes na disputa por uma vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020.

“Foi muito importante para mim, estou bem feliz com o bronze, ainda mais neste ano de Olimpíada. É bom para conseguir confiança e, se Deus quiser, vai dar tudo certo para chegar bem nos Jogos Olímpicos com chances e conseguir uma medalha”, avaliou Cargnin, de olho no aguardado evento em território japonês.

Eduardo Yudy leva bronze no segundo dia

O segundo dia do Grand Prix de Tel Aviv reservou mais uma medalha para o Judô brasileiro. Eduardo Yudy Santos (81kg) conquistou o bronze e 350 pontos no ranking internacional, essenciais na corrida olímpica. Em outra disputa do bronze, Alexia Castilhos foi superada pela tcheca Renata Zachova e ficou em quinto.

“Os treinamentos me ajudaram muito para chegar bem e focado na competição. Normalmente eu fico no fuso horário e acabo me desconcentrando. Mas, este longo tempo na Europa me ajudou a chegar bem e fazer meu jogo. Estava com a autoestima baixa, mas graças a Deus consegui esta medalha para o Brasil. Me sinto mais confiante e na próxima vez irei em busca do ouro, com certeza”, projetou o lutador.

Brasil fecha último dia com mais três pódios

Já no último dia do Grand Prix, foi a vez de Rafael Macedo (90kg), Rafael Buzacarini (100kg) e Leonardo Gonçalves (100kg) irem ao pódio. Ao todo, foram quatros bronzes e uma prata para o Brasil em Israel.

O melhor desempenho da competição foi do meio-pesado Leonardo Gonçalves, que enfileirou quatro adversários nas preliminares até chegar à decisão pelo ouro, onde encarou o israelense Peter Paltchik e a torcida local. Léo não abriu mão de seu estilo agressivo, buscou ataques e acabou surpreendido num contragolpe de Paltchik, que marcou o waza-ari e administrou a vantagem até o fim para ficar com o ouro.

Na mesma categoria, Rafael Buzacarini caminhou bem na chave, venceu duas lutas e só parou no alemão Karl-Richard Frey, nas punições, nas quartas de final. O brasileiro recuperou-se na repescagem, batendo o canadense Kyle Reyes para, em seguida, assegurar o bronze ao derrotar Daniel Mukete, de Belarus.

Seu xará, Rafael Macedo (90kg), teve desempenho semelhante, caindo apenas na semifinal diante do campeão mundial Donghan Gwak, da Coreia do Sul. A derrota não abateu Macedo, que entrou para o bronze determinado a vencer Marcus Nyman, da Suécia, e protagonizou um dos golpes mais bonitos da competição para vencer o sueco por ippon e ficar com a medalha de bronze, a quarta para o Brasil.

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade
Publicidadespot_img