Só Charles do Bronx? Relembre disputas de título do UFC que sofreram baixa de última hora

Charles do Bronx se junta a grandes nomes da história do UFC, como Jon Jones e José Aldo, que deixaram lutas pelo cinturão a poucos dias do evento

Só Charles do Bronx? Relembre disputas de título do UFC que sofreram baixa de última hora

Presidente do UFC, Dana White deu uma previsão de quando a revanche entre Charles do Bronx e Makhachev deve acontecer (Foto: Divulgação/UFC)

A notícia da saída de Charles do Bronx do UFC 294, que vai acontecer no próximo dia 21 de outubro, onde enfrentaria Islam Makhachev pelo cinturão dos leves, em Abu Dhabi (EAU), surpreendeu o mundo do MMA. Faltando apenas 11 dias para a realização do evento, o Ultimate agiu rápido e escolheu Alexander Volkanovski, atual campeão dos penas, como o substituto do brasileiro.

No entanto, vale lembrar que isso não aconteceu apenas com Charles do Bronx. Outros grandes nomes da história do UFC tiveram que abdicar de uma luta pelo cinturão não apenas por lesões, mas também por outros motivos. Abaixo, relembre outras disputas de título que “caíram” em cima da hora e frustraram muitos fãs de MMA.

Charles do Bronx sofreu um grave ferimento no supercílio e deixou a luta no UFC 294 (Foto: Reprodução)

Charles do Bronx sofreu um grave ferimento no supercílio e deixou a luta no UFC 294 (Foto: Reprodução)

UFC 189 – José Aldo x Conor McGregor

No ano de 2015, o então campeão peso-pena do Ultimate, José Aldo, iria defender seu cinturão contra a sensação do momento, Conor McGregor, no UFC 189, em julho daquele ano. Assim como Charles do Bronx, Aldo foi forçado a deixar a luta faltando 11 dias para o duelo, por conta de uma fratura na costela sofrida em um treino na Nova União.

O Ultimate, então, convocou Chad Mendes para enfrentar McGregor, com a luta sendo válida pelo cinturão interino dos penas, que terminou com vitória do irlandês por nocaute técnico no segundo round. Aldo e Conor viriam a se enfrentar em dezembro do mesmo ano, no UFC 194, que terminou de forma trágica para o brasileiro. Em apenas 13 segundos de luta, McGregor nocauteou o “Campeão do Povo” e unificou o título dos penas.

UFC 196 – Rafael dos Anjos x Conor McGregor

No ano de 2016, outro brasileiro viveu um cancelamento próximo de uma luta por título. O então campeão peso-leve, Rafael do Anjos, iria defender seu título em uma superluta contra Conor McGregor, campeão-peso pena. O combate era previsto para acontecer no UFC 196, em março do mesmo ano, mas o brasileiro sofreu uma fratura no pé e teve que deixar a luta, coincidentemente, faltando 11 dias para sua realização, tal como José Aldo e Charles do Bronx.

Com isso, o UFC escalou Nate Diaz para enfrentar McGregor em combate que foi realizado na categoria dos meio-médios. A troca não foi positiva para o irlandês, que foi finalizado por Diaz no segundo round, conhecendo, então, sua primeira derrota no UFC, encerrando uma sequência de sete resultados positivos na organização e 15 na carreira. A luta entre Dos Anjos e McGregor não foi remarcada. O brasileiro, quando se recuperou, perdeu o cinturão para Eddie Alvarez, em junho de 2016. O americano, posteriormente, seria derrotado por Conor em novembro do mesmo ano, consagrando o irlandês como campeão simultâneo dos penas e dos leves do UFC.

rafael dos anjos conor mcgregor

UFC 200 – Jon Jones x Daniel Cormier 2

A organização presidida por Dana White programou um card histórico para sua edição numerada de número 200, em 2016, que teria como a luta principal a revanche pelo títulos dos meio-pesados entre Jon Jones e Daniel Cormier. No entanto, faltando apenas três dias para a realização do UFC 200, Dana anunciou que “Bones” havia sido flagrado no exame antidoping e foi retirado do card. Anteriormente, Jon Jones havia sido destituído do titulo da categoria após provocar um acidente de trânsito e fugir do local sem prestar socorro às vítimas, incluindo uma grávida, que teve o braço quebrado. Todavia, Jones conseguiu retornar e, com vitória sobre Ovince Saint-Preux, conquistou o cinturão interino dos meio-pesados.

Inicialmente, o UFC declarou que não havia tempo hábil para conseguir um substituto para lutar contra Cormier. Foi então que surgiu a figura do brasileiro Anderson Silva, que aceitou substituir Jon Jones com apenas três dias de antecedência em relação ao card e sem fazer nenhuma preparação para a luta. O confronto não foi válido pelo cinturão dos meio-pesados e terminou com vitória de “DC” por decisão unânime do jurados.

Posteriormente, Jones e Cormier se encontraram no UFC 214, em 2017, e novamente com polêmicas. De início, a luta foi vencida por “Bones” por nocaute técnico no terceiro round. Todavia, o americano mais uma vez foi pego no antidoping. A luta foi declarada sem resultado e Jones teve seu cinturão retirado, com Cormier sendo declarado campeão.

UFC 223 – Khabib Nurmagomedov x Tony Ferguson

Desafetos declarados, Khabib Nurmagomedov e Tony Ferguson fizeram história no UFC, mas um episódio entre os dois será sempre lembrado pelos fãs de MMA. O lutadores tiveram nada menos do que cinco confrontos entre eles cancelados. Na quarta tentativa de se enfrentarem, no UFC 223, em 2018, “El Cucuy” sofreu lesão no joelho faltando somente seis dias para o card, revelando que se machucou em um estúdio, enquanto cumpria agenda com a imprensa, e não enfrentou Khabib em duelo que valeria o cinturão peso-leve do Ultimate. Para seu lugar, o havaiano Max Holloway foi escalado.

Duelo entre Khabib e Tony Ferguson foi cancelado cinco vezes no Ultimate (Foto: Divulgação/UFC)

Duelo entre Khabib e Tony Ferguson foi cancelado cinco vezes no Ultimate (Foto: Divulgação/UFC)

UFC 223 – Khabib Nurmagomedov x Max Holloway

Você está enganado se pensa que os problemas do UFC 223 haviam sido resolvidos. Na véspera do card, marcado para acontecer em 7 de abril de 2018, Max Holloway vinha em processo de corte de peso para, logo em seguida, subir à balança. No entanto, a Comissão Atlética de Nova York vetou seu procedimento na reta final da pesagem, e a luta contra Khabib foi cancelada. O evento ainda contaria com a invasão de Conor McGregor e alguns companheiros de equipe, que atacaram o ônibus com os lutadores após o “media day”, que posteriormente resultaria na prisão do irlandês.

Sem Tony Fergusson e Max Holloway, o Ultimate acabou escalando Al Iaquinta como adversário de Nurmagomedov. A luta terminou com a conquista do cinturão pelo russo após vitória por decisão unânime dos jurados. A luta entre Khabib e Max jamais foi remarcada. Já a luta entre o russo e “El Cucuy” teve mais uma tentativa de ser realizada. O confronto foi marcado para acontecer no UFC 249, em 2020, mas devido à pandemia da Covid-19, a luta não aconteceu. Com isso, o Ultimate escalou Tony x Justin Gaethje pelo título interino da categoria, que viria a ser vencida por Gaethje no quinto round.

UFC 251 – Kamaru Usman  x Gilbert Durinho

A Covid-19 foi novamente responsável pelo cancelamento de uma luta pelo título às vésperas de ser realizada. Em 2020, o brasileiro Gilbert Durinho foi diagnosticado com o coronavírus seis antes do UFC 251, onde iria desafiar Kamaru Usman pelo cinutrão dos meios médios.

Para seu lugar, o UFC escalou Jorge Masvidal, que foi superado pelo campeão da categoria por decisão unânime dos jurados. O confronto entre Durinho e Usman viria acontecer no ano seguinte, na luta principal do UFC 258, e terminou com vitória do nigeriano por nocaute técnico no terceiro round.

Para mais noticias sobre o UFC, cliquei aqui