Superado na luta principal do Shooto Brasil 92, Lincon Sá promete recorrer: ‘Quero a anulação do resultado’

Publicidade

Por Diogo Santarém

Realizado no último sábado (25), o Shooto Brasil 92 contou com a disputa do cinturão dos super-palhas entre o campeão Gilberto Cangaceiro e o desafiante Lincon de Sá na sua luta principal. O duelo durou três rounds, todos parelhos, e ao fim os jurados decidiram pela vitória de Cangaceiro por decisão dividida, causando a insatisfação do macaense Lincon.

Em entrevista à TATAME, o lutador garantiu que irá recorrer do resultado junto à CABMMA (Confederação Atlética Brasileira de MMA), pedindo a transformação do triunfo de Cangaceiro em um “No Contest” (luta sem resultado), e analisou sua participação no duelo.

“Foi um combate bem disputado onde busquei a luta os três rounds, sempre andando pra frente, pressionando o Cangaceiro e fazendo com que ele caminhasse para trás. Apostei no grappling, mantendo ele de costas na grade, porém ele estava muito forte, resistindo às quedas em alguns momentos”, afirmou Lincon, que prosseguiu com a sua análise:

“De acordo com as regras da CABMMA, que são unificadas mundialmente, os critérios primários de avaliação são striking e grappling efetivos. Quem viu a luta, inclusive comentaristas da TV, julgaram ela a meu favor! Venci claramente o primeiro e último rounds, levando em consideração o critério de avaliação da própria Confederação. Todos viram que os juízes erraram e deram a vitória e, consequentemente o título, para o meu adversário, mas eu não concordo com o resultado. Por isso, já estou conversando com a CABMMA para solicitar uma anulação do resultado. Vou atrás disso”, explicou.

Apesar da reclamação, Lincon segue sua carreira e já projeta inclusive um retorno aos cages, mas longe do Brasil, com uma possibilidade dar aulas na China e também lutar.

“Tive um convite para dar aulas na China e até mesmo lutar alguns eventos de MMA pela Ásia. Mas independentemente desse projeto se concretizar ou não, gostaria que a CABMMA reconhecesse e anulasse o resultado da luta com o Cangaceiro, transformando em ‘No Contest’, e que o Shooto Brasil, através do seu presidente, marcasse uma trilogia. Acho que essa luta iria vender muito”, disse o Lincon, lembrando também o empate entre eles.

Por fim, o experiente lutador falou um pouco sobre o cenário do MMA nacional, destacando suas dificuldades: “Estamos em uma curva crescente, mas também vejo que o nosso esporte ainda tem muito a evoluir, principalmente na profissionalização dos atletas para viveram somente do esporte, sem ter que dividir seu tempo entre trabalhar e arranjar horário para treinar. Eu sou um exemplo disso. Sou formado na área de Engenharia de Segurança do Trabalho e algumas vezes tenho que embarcar em plataformas petrolíferas para trabalhar, não podendo dar sequência nos treinos e até em camps”, encerrou.

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade