Vindo de boa vitória, Gabriel Fly busca quebrar ‘maldição brasileira’ dentro do BRAVE CF e avisa: ‘Estou aqui para mudar essa situação’

Publicidade

O Brasil é o berço das artes marciais mistas e, por onde passam, os atletas brasileiros costumam frequentar a parte de cima de suas categorias nos eventos internacionais. A situação não é diferente no BRAVE CF, que conta com importantes nomes do país em seu elenco, mas há uma sina que teima em perseguir os lutadores tupiniquins quando chegam no topo da maior organização de MMA do Oriente Médio.

A chamada “Maldição brasileira” tem feito vítimas desde que a organização despontou no cenário internacional, há quase meia década atrás. Nomes como Lucas Mineiro, Cleiton Predador, Daniel Gaúcho e Marcel Adur foram derrotados em disputas de cinturão e, quando conquistaram o título, foram destronados sem conseguir defendê-lo uma vez sequer.

Mas um nome do MMA brasileiro garante estar pronto para quebrar essa maldição. Trata-se do faixa-preta de Jiu-Jitsu da CM System, Gabriel “Fly” Miranda, que compete na categoria peso pena.

“Sei que o Brasil não passa por um bom momento no BRAVE CF, mas estou aqui para mudar isso. Tenho treinado duro e sei que tenho condições de me tornar o novo campeão peso pena da organização”, garantiu.

“Temos o colombiano Dumar Roa, que vem de vitória e está me desafiando”, prosseguiu. “Acho que essa luta seria um grande desafio valendo o cinturão vago. Estou pronto para colocar o Brasil de volta no topo do MMA e do BRAVE CF”.

A mais recente adição à lista de derrotas brasileiras no BRAVE CF aconteceu no último dia 16 de janeiro, quando o ex-TUF Brasil Leonardo Macarrão foi superado pelo russo Eldar Eldarov na disputa do título mundial peso super-leve, na luta principal do BRAVE CF 46, em Sochi, na Rússia.

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

Publicidade