Campeões inéditos e/ou em seu primeiro ano como faixa-preta: reveja alguns destaques do Mundial 2019

Publicidade

Realizado na Califórnia (EUA), o Mundial de Jiu-Jitsu 2019 da IBJJF terminou há pouco mais de um mês, porém, o principal evento do calendário da arte suave segue dando o que falar. Entre os destaques do campeonato, alguns nomes surpreenderam na faixa-preta.

Foram muitos campeões inéditos, a maioria em seu primeiro ano como faixa-preta, e a TATAME relembrou os integrantes dessa lista que brilharam na Pirâmide de Long Beach.

Confira abaixo:

João Miyao: seguindo os passos do irmão Paulo Miyao, João foi com tudo atrás do seu primeiro título como faixa-preta em 2019. Para conquistar o ouro, o lutador contou com o apoio de toda sua equipe, a Cícero Costha, que fechou o pódio na divisão dos plumas.

https://www.instagram.com/p/ByPTPdzgynG/


-Matheus Gabriel: em uma das categorias mais acirradas, o peso pena conheceu um novo campeão mundial, e logo um estreante na elite do esporte. Em seu primeiro ano como faixa-preta, o lutador da Checkmat fez bonito. Na final, contra a fera Marcio André, Matheus abriu vantagem até encaixar uma bela chave de braço partindo do triângulo.

https://www.instagram.com/p/ByQt7Erj-Fe/


-Kaynan Duarte: talvez um dos grandes nomes do cenário competitivo atual, Kaynan correspondeu às expectativas. Também em seu primeiro Mundial como faixa-preta, o pupilo de André Galvão deu show no peso pesado e venceu a lenda Leandro Lo na decisão.

https://www.instagram.com/p/ByRDYGGnJfm/


-Mayssa Bastos: entre as mulheres, Mayssa foi outra que confirmou seu favoritismo enquanto debutava no Mundial como faixa-preta. Sem sentir pressão, a jovem da GFTeam impôs seu jogo e, na final dos galos, superou a japonesa Rikako Yuasa após luta apertada.

https://www.instagram.com/p/ByS0e0pp_kh/


-Tammi Musumeci: irmã do casca-grossa e tricampeão mundial Mickey Musumeci, Tammi adicionou mais um título ao currículo da família. Com um jogo seguro, a norte-americana levou o ouro para casa por 1 a 0 nas vantagens – ataque nas costas – após empate em 0 a 0 nos pontos na final com a brasileira Amanda Ribeiro pela divisão dos plumas.

https://www.instagram.com/p/ByRdSewFBmh/


-Andressa Cintra: se em 2018, quando estreou em Mundiais como faixa-preta, Andressa ficou com o bronze, neste ano não teve jeito. Na final, a atleta da Gracie Barra pegou as costas de Luiza Monteiro, passou o gancho e pressionou até estrangular no meio-pesado.

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade
Publicidadespot_img