Sakai analisa cenário da divisão dos pesados e polêmica de Jon Jones com o UFC: ‘Ele tem seu valor, mas não precisava ter falado tanto’

Publicidade

* Nono colocado do ranking peso-pesado do UFC, Augusto Sakai está cada vez mais próximo do seu retorno ao octógono. No próximo dia 1º de maio, o brasileiro terá pela frente o russo Shamil Abdurakhimov, em Las Vegas (EUA), e vai em busca da recuperação dentro da franquia, já que em sua última luta, em setembro do ano passado, acabou sendo derrotado por Alistair Overeem por nocaute técnico no quinto round do duelo.

Com um cartel profissional de 15 vitórias (sendo quatro pelo UFC) e apenas duas derrotas ao longo de sua trajetória no MMA, Sakai conversou com a TATAME e, faltando praticamente um mês para o confronto diante de Abduhrakhimov, contou como está indo a preparação em Curitiba, sua cidade natal.

“O camp está muito bom, estamos num ritmo de treinos excelente. Venho procurando me aperfeiçoar em todas as áreas, no Jiu-Jitsu, quedas, Muay Thai e também na preparação física, para poder chegar 110% na luta. Espero que a luta se desenvolva rumo à minha vitória (risos). O Shamil (Aburakhimov) é um cara duro, muito bom, mas já estudamos o jogo dele e espero que venha uma vitória por nocaute ou, quem sabe, minha primeira finalização da carreira. Vamos ver o que a luta nos apresenta”, disse o atleta de 29 anos.

No último sábado (27), a categoria peso pesado conheceu um novo campeão após Francis Ngannou nocautear Stipe Miocic na luta principal do UFC 260. Ao fazer sua análise sobre a disputa de cinturão, Sakai não escondeu sua surpresa com o triunfo do camaronês, mas fez elogios ao desempenho do lutador.

“Não vou esconder, esperava que a luta terminasse com vitória do Miocic, uma luta bem parecida com a primeira entre eles, com o Miocic saindo vitorioso. Porém, o Ngannou mostrou o quanto evoluiu, cresceu e o quanto estava com vontade de ganhar o cinturão. Ele surpreendeu por tudo o que fez na luta, defendeu quedas e até ensaiou uma derrubada, concluindo com um belo nocaute. O Ngannou está de parabéns”.

Com o noticiário movimentado da divisão, Sakai também não deixou de comentar a polêmica envolvendo Jon Jones, que vem em processo de migração para o peso pesado e falou que, para enfrentar Francis Ngannou em uma possível disputa de título, espera ser melhor recompensado pela organização. O brasileiro afirmou que entende as razões do americano em querer ganhar mais dinheiro, porém fez ressalvas ao atleta.

“Mais uma polêmica do Jon Jones, né? Ele tem seu valor, foi campeão, limpou a categoria dele, é um grande nome dentro do UFC. Ele está certo de querer cobrar por isso, porém, como ele tem muito tempo na organização, ele sabe como a banda toca e, por mais que ele queira ganhar mais, não sei quanto a mais ele quer ganhar, mas acho que é algo difícil por parte do UFC. Ele não precisava ter feito todo esse marketing, não precisava ter falado tanto que queria disputar o cinturão dos pesados, ele poderia ter ‘tirado um pouco o pé’, sabendo que o UFC não ia pagá-lo. Agora vamos ver se o UFC vai ceder ou se vai seguir dessa forma”, opinou o curitibano, que por fim, citou o americano Derrick Lewis como outro grande “favorito” ao title shot.

“Agora é aguardar o desfecho dessa história. É cedo para falar alguma coisa, então vamos ver qual vai ser o acordo entre ambas as partes. Mas já está claro que o ‘plano B’ do UFC é a revanche entre Francis Ngannou e Derrick Lewis. Acho que o UFC está bem tranquilo em relação a isso. Se não for o Jones, vão colocar o Lewis”.

* Por Mateus Machado

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade