Responsáveis pelo SFT XTreme celebram crescimento da modalidade e confirmam segunda edição em 2021

Publicidade

O SFT – um dos principais eventos de lutas do Brasil – está pronto para retomar o projeto XTreme, dedicado aos combates em pé da organização dirigida por David Hudson. A modalidade, vale citar, consiste em promover duelos de Kickboxing em um octógono e com luvas de MMA (4 ao invés de 10 onças), aumentando ainda mais a adrenalina das disputas e conquistando novos fãs.

“Tentamos não usar tanto a palavra Kickboxing, porque a gente acredita que criou uma modalidade nova. Assim como existe Caratê, Jiu-Jitsu e outras lutas, temos o XTreme. Porém, uma forma mais fácil para explicar é: Kickboxing em um octógono com luvas de MMA”, contou David, que está à frente do SFT há três anos e é responsável direto pelo crescimento do evento.

Lançada em 2019, a modalidade já começou a criar grandes nomes, como o campeão peso-leve Marcilio Muniz, dono de três vitórias na organização, e Ruth Ravena, que tem dois triunfos e será a primeira atleta a disputar um cinturão feminino do XTreme. Outro destaque é Raphael Dengue, faixa-preta de Muay Thai e que está invicto no SFT, inclusive cotado para disputar o título meio-médio contra Carlos Prates, ex-atleta do ONE Series e que tem mais 80 vitórias na carreira.

Responsável por casar as lutas do XTreme, o matchmaker Ricardo Malengo projetou a segunda edição do show para novembro deste ano – ainda sem uma data oficial -, destacando que, ao lado do presidente, vem trabalhando para dar cada vez mais espaço aos atletas e à modalidade.

“Agora o pessoal já está começando a acostumar, até pelos nomes que vem participando do XTreme, nomes fortes da trocação, então existe esse melhor entendimento (do esporte). A gente vem com um time de atletas que estão com muita vontade, já temos nosso primeiro campeão, que é o Marcilio Muniz, e em outras categorias estamos definindo as disputas. Hoje em dia vem se criando uma expectativa muito grande (para os combates), o início do XTreme foi complicado, mas agora não. O meu telefone não para de tocar, diversos atletas querendo lutar, e isso mostra que o trabalho está sendo bem feito e bem aceito”, completou Ricardo a respeito.

A aceitação da modalidade entre os atletas de trocação está cada vez maior e abrange diversos esportes como o Muay Thai, Kickboxing, Boxe Chinês, Caratê e até o Boxe, por exemplo. A organização acredita que o XTreme pode ser uma nova forma de entretenimento para os fãs de lutas, ressaltando ainda a participação fundamental das mulheres nessa caminhada até agora.

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade