Amanda reprova atitude de treinador de Pennington após lesão da amiga: ‘Triste’

Publicidade

Por Mateus Machado e Yago Rédua

Realizado no último sábado (12), no Rio de Janeiro, o UFC 224 teve em sua luta principal a vitória de Amanda Nunes sobre Raquel Pennington por nocaute técnico no quinto round. Foi a terceira defesa de cinturão bem-sucedida da “Leoa”, que ainda se tornou a primeira brasileira a defender um título do Ultimate no Brasil. No entanto, apesar de mais um grande feito de Amanda, o confronto também ficou protagonizado por um momento delicado – e polêmico – envolvendo a sua adversária e também amiga pessoal, “Rocky”.

Ainda durante o confronto, mais precisamente no intervalo do quarto para o quinto round, Pennington disse ao seu córner que não aguentava mais lutar, afirmando que estava com o nariz quebrado. O treinador da americana não quis saber de “jogar a toalha” e pediu para que sua atleta continuasse no combate. O diálogo foi visto ao vivo na transmissão do UFC para todo o mundo e gerou diversos comentários de fãs de MMA, contrários à atitude.

Em entrevista coletiva aos jornalistas após o confronto, Amanda reprovou totalmente a decisão tomada pelo treinador de Raquel Pennington, ressaltando que tal atitude não aconteceria, sob nenhuma circunstância, em sua equipe, a American Top Team (ATT).

“É triste. A Nina (Ansaroff) me falou nos bastidores, mas eu nem sabia. É triste porque poderia evitar. Ela agora foi para o hospital, o nariz deve estar com lesão grave, então estou triste. Pedi para a Nina mandar uma mensagem, e se ela precisar de alguma coisa estou aqui. Se ela não estava em condições de lutar, o treinador tinha que jogar a toalha. Se fosse comigo, meu técnico não deixaria eu passar por essa situação. É triste. Todo mundo deve estar falando muito mal dele nas redes sociais, certamente. Agora ela tem que realmente se cercar de pessoas que querem o seu bem, para ela evoluir nas próximas lutas. Infelizmente, hoje ele falhou. É muito triste, era pra tê-la escutado naquela hora. É importante essa amizade com o treinador, ele entender o atleta. Por isso minha sintonia com meus treinadores está dando muito certo. Espero que, neste momento e daqui pra frente, ela possa estar com pessoas que realmente estejam com ela”, disse a “Leoa”.

Confira outros trechos da entrevista coletiva de Amanda Nunes:

– Lesão durante a luta e análise do desempenho contra Pennington

– Primeira brasileira a defender cinturão no país e apoio da torcida


– ‘Reclamação’ com o UFC por pouca divulgação do seu combate


– Descanso após terceira defesa de cinturão e próximos planos

– Polêmica envolvendo o treinador de Raquel Pennington

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade