Buchecha analisa título no Pro League e projeta ADCC: ‘Chegar e sair na porrada’

Publicidade

Por Diogo Santarém

Pela segunda vez, Marcus Buchecha fez história no GP dos Pesados da IBJJF, o Pro League, realizado no último dia 26 de agosto, em Las Vegas, nos Estados Unidos. Com uma atuação segura e deixando pra trás a sua derrota para Roger Gracie, o faixa-preta da Checkmat enfileirou Dimitrius Souza, João Gabriel Rocha e, na decisão, Leandro Lo.

A final, como era de se esperar, foi o embate mais difícil. Na maior parte da luta, Buchecha ficou por cima, mas Leandro Lo soube conter o ímpeto do seu adversário. No fim, com uma vantagem para cada, a decisão ficou para os árbitros, que declararam vitória de Buchecha, campeão e dono do prêmio de US$ 40 mil, um dos mais cobiçados da arte suave.

A história, porém, poderia ter tido outro desfecho. Segundo Buchecha, o duelo foi tão apertado que não seria estranho se ele tivesse sido decidido a favor de Lo, vice-campeão e que levou para casa US$ 10 mil como prêmio de “consolação”.

“Foi uma competição muito boa, onde tive três lutas duríssimas. A primeira foi contra o Dimitrius, um cara com quem eu nunca tinha lutado, então procurei controlar, aquecer meu corpo. Depois, contra o João Gabriel, já com o corpo quente, me soltei mais e finalizei. Por fim, na decisão contra o Leandro Lo, meu irmão, uma luta duríssima, um empate. Ali a arbitragem poderia ter dado para qualquer um, mas acabaram dando pra mim. Foi uma luta bem parelha, mas deu tudo certo”, afirmou, em entrevista exclusiva à TATAME.

Buchecha e Lovato fizeram grande luta pelo ADCC Trials, com vitória de Marcus (Foto Blanca Marisa / ADCC)

Agora, o foco do dez vezes campeão mundial se volta para o ADCC, que acontece nos dias 23 e 24 deste mês, em Espoo, na Finlândia. De olho no título absoluto do evento, um dos poucos que faltam no seu currículo, Buchecha garantiu estar com a preparação em dia.

“Vou começar a treinar forte agora, mas já estou no gás, é mais uma questão de ajustar o jogo sem quimono e preparar os últimos detalhes. Ainda não vi os nomes da minha categoria, mas vou preparado para tudo. Me preocupo mais com o meu jogo, em botar o meu ritmo na luta, então vou lá para sair na porrada e fazer o que eu mais gosto”, disse o faixa-preta, que ainda contou estar ansioso para ver seu mestre, Léo Vieira, em ação contra Chael Sonnen – lutador de MMA – em uma das superlutas do ADCC 2017.

“Acho que vai ser bem legal, o Leozinho, mais do que ninguém, merece essa superluta. Ele fez história no esporte, no evento (é bicampeão), já provou que não escolhe adversário, enfrenta qualquer um, qualquer hora. Ele é um mago, uma lenda. Estou acompanhando os treinos dele diariamente, vai chegar bem. Estou ansioso para vê-lo em ação”, encerrou.

Publicidade

Notícias relacionadas

1 COMENTÁRIO

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade
Publicidadespot_img