Com medo da Covid-19, Japão quer tirar celebridades do país de circuito da tocha olímpica; Jogos estão marcados para julho de 2021

Publicidade

O governo japonês está considerando um esquema para impedir que celebridades corram no revezamento da tocha olímpica a partir de 25 de março, a fim de reduzir o risco de infecção do novo coronavírus por multidões à beira da estrada que certamente irão assisti-los. A informação foi divulgada pela imprensa japonesa na primeira semana de 2021, em meio às incertezas sobre a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio neste ano. As dúvidas acontecem por causa do aumento de casos de Covid-19 em diversos países do mundo, incluindo o Brasil.

De acordo com fontes ouvidas pelos jornais, políticos e cientistas temem que tal movimento, no entanto, diminua o entusiasmo pelos Jogos Olímpicos e mais precisamente pela caminhada com a tocha. A Olimpíadas estão marcadas para acontecer de 23 de julho a 8 de agosto. O governo do Japão pretende consultar a comissão organizadora dos Jogos e outras entidades para saber qual será a melhor estratégia no que diz respeito à condução da tocha olímpica. Como os governos locais e patrocinadores estiveram envolvidos na seleção das celebridades, a execução de uma política de exclusão dessas pessoas certamente enfrentará vários obstáculos.

Uma fonte do marketing de uma patrocinadora familiarizada com o assunto disse que o governo está considerando novas contramedidas por temer que uma série de infecções no revezamento da tocha possam afetar os próprios Jogos Olímpicos. A intenção é resguardar atletas e a população de olho na competição.

Ao que tudo indica, excluir a participação de cantores e outras celebridades é o foco do esquema governamental do Japão neste momento. No entanto, os ex-atletas olímpicos com vínculos com as áreas locais teriam permissão para participar após tomar todas as precauções, como a realização de testes e isolamento prévio e posterior à condução da tocha.

“Queremos que eles (as celebridades) corram em nome do povo de nossa região e é impensável reorganizar os participantes do revezamento”, disse um representante de um governo local, que não conseguiu esconder sua frustração, ao jornal Japan Times.

O governo também está considerando proibir os patrocinadores de distribuírem mercadorias ao longo da estrada para promover seus esforços de relações públicas, como aconteceu em eventos anteriores. Parte dessas celebridades estão em sites de cultura e entretenimento, como o https://folhago.com.br/blogs-colunas/entretenimento.

Fazer isso, no entanto, reduziria os benefícios para os patrocinadores, que contribuem com grande parte dos custos operacionais do relé e provavelmente se oporiam a tal medida. Os Jogos Olímpicos de Tóquio estavam marcados para julho de 2020. A competição foi adiada na esteira de medidas adotadas por confederações esportivas do mundo tudo para impedir a circulação do novo coronavírus em estádios e ginásios de todo o mundo. Além disso, órgãos internacionais, como a Organização Mundial da Saúde, recomendaram que competições de grande porte fossem adiadas, para diminuir a circulação de pessoas.

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade
Publicidadespot_img