Querendo embalar no Ultimate, Thiago Moisés confia no Jiu-Jitsu para derrotar ‘gigante’ do peso leve no UFC Vegas 9

Publicidade

* Após um ano alterando vitórias e derrotas no Ultimate, Thiago Moisés quer engatar o segundo triunfo seguido na companhia neste sábado (5), pelo UFC Vegas 9, contra Jalin Turner – que também vive situação parecida. Com a meta de retornar mais uma vez ao cage em 2020 para, quem sabe, encarar um Top 15 dos leves, o brasileiro já tem em mente o que precisa fazer para bater o “gigante” de 1,91m que compete na categoria até 70kg: usar o Jiu-Jitsu.

Faixa-preta de arte suave e com um alto nível na luta agarrada, tendo vencido, inclusive, Michael Johnson com uma chave de tornozelo em maio passado, Moisés contou que esse pode ser o caminho para neutralizar a maior envergadura do oponente.

“Eu vou usar a minha trocação para encurtar a distância e levar para a área que tem mais vantagem (o chão). Não é segredo que eu vou usar o Jiu-Jitsu e como ele é alto, tem vantagem na trocação. Ele não é muito bom tecnicamente, mas tem a vantagem da maior envergadura”, analisou o paulista em entrevista à TATAME.

Thiago ainda destacou como foi esse segundo camp em meio à pandemia do novo coronavírus, já que ele fez parte da série de quatro eventos que marcaram a retomada do Ultimate em Jacksonville. Além disso, analisou o início de trajetória dentro do UFC e deu algumas pistas sobre os próximos passos na organização.

Confira outros trechos da entrevista com Thiago Moisés:

– Treinamento na American Top Team

Dessa vez, tava melhor a academia. Fizemos teste de Covid-19 semanalmente e, também, já estão melhorando as coisas. A situação está mais controlada na Flórida. Esse camp foi melhor por causa disso. Eu treinei muito forte para essa luta, o adversário é muito alto, diferente do que estou acostumado a enfrentar. Treinei com o Luiz Sena, que tem a mesma altura do meu oponente. Também treinei com o Bruno Oliveira, que vai lutar no Contender Series e luta na categoria até 84kg. Estou bem preparado.

– Análise do começo de trajetória no UFC

Eu tive uma estreia bem difícil (contra o Beneil Dariush, em novembro de 2018) e outras lutas que não foram com resultados positivos, mas sempre peguei rivais duros e mostrei meu potencial, como na luta contra o (Michael) Johnson. Ele é um cara que já quase disputou o cinturão da categoria dos leves.

– Próximo passos dentro do peso leve

Estou focando na próxima luta, que é um adversário duro e perigoso. Quero fazer mais uma luta esse ano ainda. Espero, então, lutar contra um Top 15 em seguida. A princípio não é isso que eu quero (lutar contra brasileiros), quero lutar contra atletas de outras nacionalidades, mas se tiver que lutar, não tem o que fazer.

– Como é lutar neste “novo normal”

Tem o lado positivo de ouvir melhor os treinadores, mas sentimos falta de sentir a energia dos torcedores, ainda mais da torcida brasileira. Isso não tem preço, espero que as coisas possam voltar ao normal.

CARD COMPLETO:

UFC Fight Night 176
UFC Apex, em Las Vegas (EUA)
Sábado, 5 de setembro de 2020

Card principal (21h, horário de Brasília)
Peso-pesado: Alistair Overeem x Augusto Sakai
Peso-meio-pesado: Ovince St. Preux x Alonzo Menifield
Peso-galo: Sijara Eubanks x Karol Rosa
Peso-meio-médio: Michel Pereira x Zelim Imadaev
Peso-pena: Brian Kelleher x Kevin Natividad
Peso-leve: Thiago Moisés x Jalin Turner

Card preliminar (19h, horário de Brasília)
Peso-médio: André Sergipano x Bartosz Fabinski
Peso-mosca: Viviane Araújo x Montana de la Rosa
Peso-pesado: Alexander Romanov x Marcos Pezão
Peso-galo: Cole Smith x Hunter Azure

* Por Yago Rédua

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

Publicidade