Querendo embalar no Ultimate, Thiago Moisés confia no Jiu-Jitsu para derrotar ‘gigante’ do peso leve no UFC Vegas 9

Publicidade

* Após um ano alterando vitórias e derrotas no Ultimate, Thiago Moisés quer engatar o segundo triunfo seguido na companhia neste sábado (5), pelo UFC Vegas 9, contra Jalin Turner – que também vive situação parecida. Com a meta de retornar mais uma vez ao cage em 2020 para, quem sabe, encarar um Top 15 dos leves, o brasileiro já tem em mente o que precisa fazer para bater o “gigante” de 1,91m que compete na categoria até 70kg: usar o Jiu-Jitsu.

Faixa-preta de arte suave e com um alto nível na luta agarrada, tendo vencido, inclusive, Michael Johnson com uma chave de tornozelo em maio passado, Moisés contou que esse pode ser o caminho para neutralizar a maior envergadura do oponente.

“Eu vou usar a minha trocação para encurtar a distância e levar para a área que tem mais vantagem (o chão). Não é segredo que eu vou usar o Jiu-Jitsu e como ele é alto, tem vantagem na trocação. Ele não é muito bom tecnicamente, mas tem a vantagem da maior envergadura”, analisou o paulista em entrevista à TATAME.

Thiago ainda destacou como foi esse segundo camp em meio à pandemia do novo coronavírus, já que ele fez parte da série de quatro eventos que marcaram a retomada do Ultimate em Jacksonville. Além disso, analisou o início de trajetória dentro do UFC e deu algumas pistas sobre os próximos passos na organização.

Confira outros trechos da entrevista com Thiago Moisés:

– Treinamento na American Top Team

Dessa vez, tava melhor a academia. Fizemos teste de Covid-19 semanalmente e, também, já estão melhorando as coisas. A situação está mais controlada na Flórida. Esse camp foi melhor por causa disso. Eu treinei muito forte para essa luta, o adversário é muito alto, diferente do que estou acostumado a enfrentar. Treinei com o Luiz Sena, que tem a mesma altura do meu oponente. Também treinei com o Bruno Oliveira, que vai lutar no Contender Series e luta na categoria até 84kg. Estou bem preparado.

– Análise do começo de trajetória no UFC

Eu tive uma estreia bem difícil (contra o Beneil Dariush, em novembro de 2018) e outras lutas que não foram com resultados positivos, mas sempre peguei rivais duros e mostrei meu potencial, como na luta contra o (Michael) Johnson. Ele é um cara que já quase disputou o cinturão da categoria dos leves.

– Próximo passos dentro do peso leve

Estou focando na próxima luta, que é um adversário duro e perigoso. Quero fazer mais uma luta esse ano ainda. Espero, então, lutar contra um Top 15 em seguida. A princípio não é isso que eu quero (lutar contra brasileiros), quero lutar contra atletas de outras nacionalidades, mas se tiver que lutar, não tem o que fazer.

– Como é lutar neste “novo normal”

Tem o lado positivo de ouvir melhor os treinadores, mas sentimos falta de sentir a energia dos torcedores, ainda mais da torcida brasileira. Isso não tem preço, espero que as coisas possam voltar ao normal.

CARD COMPLETO:

UFC Fight Night 176
UFC Apex, em Las Vegas (EUA)
Sábado, 5 de setembro de 2020

Card principal (21h, horário de Brasília)
Peso-pesado: Alistair Overeem x Augusto Sakai
Peso-meio-pesado: Ovince St. Preux x Alonzo Menifield
Peso-galo: Sijara Eubanks x Karol Rosa
Peso-meio-médio: Michel Pereira x Zelim Imadaev
Peso-pena: Brian Kelleher x Kevin Natividad
Peso-leve: Thiago Moisés x Jalin Turner

Card preliminar (19h, horário de Brasília)
Peso-médio: André Sergipano x Bartosz Fabinski
Peso-mosca: Viviane Araújo x Montana de la Rosa
Peso-pesado: Alexander Romanov x Marcos Pezão
Peso-galo: Cole Smith x Hunter Azure

* Por Yago Rédua

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade