Erich Munis, Bahiense, Mica Galvão, Bia Mesquita e mais: confira os campeões do Abu Dhabi World Pro

Publicidade

A 13ª edição do Abu Dhabi World Pro terminou da melhor maneira, nesta sexta-feira, 19 de novembro. Vinte e quatro dos melhores competidores do mundo deram tudo para atingir o objetivo final, que é se tornar campeão faixa-preta do torneio (ADWPJJC).

As 12 categorias de peso em luta proporcionaram ao público técnica de ponta e emoções de arrepiar. Os homens e mulheres nos tatames não mediram esforços em busca de seus sonhos. Veja como cada divisão foi definida.

Faixa-Preta Adulto Masculino

56kg – Nathan Fernandes e Jonas Andrade abriram as finais com um confronto muito estratégico onde ninguém quis dar a oportunidade para o adversário marcar. Com guardas fortes, Nathan e Jonas travaram uma batalha que terminou com um placar de 9-7 para Nathan e seu primeiro cinturão no ADWPJJC.

PÓDIO
1º – Nathan Fernandes (Brasil)

2º – Jonas Andrade (Brasil)
3º – Hakuto Yamamoto (Japão)

62kg – Diogo Reis confirmou mais uma vez que é um dos melhores competidores da categoria neste momento. A final contra o georgiano Giorgi Razmadze viu Diogo controlar as ações do início ao fim e construir uma vantagem de 5-2 para conquistar seu primeiro cinturão no ADWPJJC.

PÓDIO
1º – Diogo Reis (Brasil)

2º – Giorgi Razmadze (Geórgia)
3º – Hiago George (Brasil)

69kg – Uma raspagem significou o segundo cinturão do ADWPJJC para o argentino Pablo Lavaselli. Em luta muito disputada contra o brasileiro Israel Almeida, Pablo aproveitou para desequilibrar o adversário e abrir o placar por 2 a 0. Depois de uma luta tão dura, tudo que Pablo precisou fazer foi comemorar.

PÓDIO
1º – Pablo Lavaselli (Argentina)

2º – Israel Almeida (Brasil)
3º – Fabrício Júnior (Brasil)

77kg – Sólido e sob controle. Foi assim que Mica Galvão conquistou seu primeiro cinturão no ADWPJJC. A final contra o norueguês Espen Mathiesen apresentou a Mica todos os desafios de uma luta de alto nível. Mesmo assim, ele encontrou uma chave de pé para garantir o título.

PÓDIO
1º – Mica Galvão (Brasil)

2º – Espen Mathiesen (Noruega)
3º – Levi Jones-Leary (Austrália)

85kg – Isaque Bahiense tinha uma missão a cumprir e trabalhou muito para isso. Na final, ele controlou as ações para construir uma vantagem de 7 a 0 sobre o australiano William Dias. Uma passagem de guarda definiu o placar no final da luta. É o terceiro cinturão de Isaque em Abu Dhabi.

PÓDIO
1º – Isaque Bahiense (Brasil)

2º – William Dias (Austrália)
3º – Lucas Nascimento (Brasil)

94kg – Erich Munis lutou de forma inteligente e se manteve longe das guarda perigosa do polonês Adam Wardzinski. Com isso, ele conseguiu construir uma vantagem de 4-2 e levar para casa seu primeiro cinturão no ADWPJJC.

PÓDIO
1º – Erich Munis (Brasil)

2º – Adam Wardzinski (Polônia)
3º – Matheus Xavier (Brasil)

120kg – Gutemberg Pereira sabia o que tinha que fazer e não perdeu tempo. Ele rapidamente construiu uma vantagem dominante de 16-0 sobre Walter dos Santos para garantir seu segundo cinturão no ADWPJJC

PÓDIO
1º – Gutemberg Pereira (Brasil)

2º – Walter dos Santos (Angola)
3º – Roosevelt Sousa (Brasil)

Faixa-marrom/preta feminina adulta

49kg – Não é fácil conquistar títulos consecutivos no ADWPJJC. Brenda Larissa fez isso com muita competência e determinação. Na final, fez uma bela luta contra a sempre perigosa Eliana Carauni, da Argentina. Depois do empate em 1 a 1, Brenda levou o cinturão para casa por decisão do árbitro.

PÓDIO
1º – Brenda Larissa (Brasil)

2ª – Eliana Carauni (Argentina)
3º – Serena Gabrieli (Itália)

55kg – O sonho finalmente se tornou realidade para Ana Rodrigues. Depois de chegar perto no passado, a brasileira levou o cinturão para casa com uma campanha impecável. Na final, ela assumiu o controle da luta e venceu a holandesa Rose El Sharouni por 4 a 2 pela medalha de ouro.

PÓDIO
1º – Ana Rodrigues (Brasil)

2ª – Rose El Sharouni (Holanda)
3º – Bianca Basílio (Brasil)

62kg – Bia Mesquita é o que você encontra quando busca a melhor. Ela conquistou seu 7º cinturão no ADWPJJC com uma campanha de quatro finalizações em quatro lutas. Na final, ela não deu chance à italiana Margot Ciccarelli e finalizou com um estrangulamento Ezequiel da guarda.

PÓDIO
1º – Bia Mesquita (Brasil)

2ª – Margot Ciccarelli (Itália)
3º – Julia Alves (Brasil)

70kg – Cada edição do ADWPJJC revela um novo rosto promissor. A 13ª edição revelou Ingridd Sousa como mais um grande talento do Brasil. Na final, ela usou todas as suas habilidades para vencer a polonesa Magdalena Loska por 5 a 2 e entrar no clube dos donos de cinturão.

PÓDIO
1º – Ingridd Sousa (Brasil)
2º – Magdalena Loska (Polônia)
3º – Larissa Almeida (Brasil)

95kg – Gabi Pessanha estava pronta para isso. Só conseguiu pensar na final contra a rival Yara Nascimento, principalmente depois de perder para Yara nas duas últimas lutas. Em Abu Dhabi, Gabi usou todos os recursos da sua guarda e conseguiu uma raspagem a menos de 30 segundos do fim. Yara lutou o máximo que pôde, mas não foi capaz de alterar o placar de 3-2. Gabi agora é três vezes campeã do ADWPJJC.

PÓDIO
1º – Gabi Pessanha (Brasil)

2ª – Yara Nascimento (Brasil)
3º – Katiuscia Dias (Guiné-Bissau)

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade
Publicidadespot_img