Matheus Spirandeli relembra vitória no último BJJ Stars e mira volta à ativa no Campeonato Brasileiro

Publicidade

* Aos 28 anos de idade – completados na última terça-feira (28) -, o faixa-preta Matheus Spirandeli vem de um ótimo aproveitamento nos eventos de lutas casadas que participou em 2021. Primeiro, em fevereiro, o paulista derrotou Eduardo Andrade, Léo Lara e Marcos Petcho no mesmo dia para faturar o GP até 85kg do Big Deal Pro. Já em junho, pela sexta edição do BJJ Stars, Matheus teve grande atuação e venceu Henrique Ceconi na eleita “Melhor Luta da Noite”.

Em entrevista à TATAME, o representante da equipe Alliance relembrou o triunfo no BJJ Stars, que veio após uma vantagem de 6 a 2 nos pontos, e elogiou o trabalho realizado pelo evento.

“O BJJ Stars é um dos maiores eventos do mundo, estar lutando e ganhando coroa um trabalho duro que venho fazendo há bastante tempo. Além disso, foi uma honra estar ao lado dos meus irmãos Dimitrius Souza e Michael Langhi, trazendo três vitórias”, afirmou o lutador, que seguiu.

“Foi um combate bastante movimentado, o Ceconi é um atleta duríssimo e me fez evoluir como atleta. O detalhe principal foi o treinamento junto com meu preparador físico Rafael Ribeiro e todos na Alliance São Paulo, estávamos prontos para o pior cenário e acho que isso acabou sendo decisivo para eu ter a confiança de manter a calma, virar a luta. Logo no início eu lesionei o joelho e então tive que mudar completamente o plano para conseguir vencer”, completou.

Por conta da lesão no joelho, Matheus Spirandeli ainda não retornou às competições. Porém, essa questão será resolvida no próximo fim de semana, quando o faixa-preta vai disputar o Campeonato Brasileiro de Jiu-Jitsu da CBJJ, no Rio de Janeiro. Ansioso, ele ressaltou o trabalho feito com o fisioterapeuta Marcello Ferraz para estar 100% e projetou seus próximos passos.

“Podem esperar um Matheus competitivo, buscando a evolução e com muita vontade de vencer. Vou em busca dos títulos das principais competições (incluindo o Brasileiro) e de seguir evoluindo, como atleta e pessoa, para entender cada vez melhor meus pontos fracos e corrigi-los. Acredito que esse processo seja como uma maratona, não uma corrida de 100 metros”, opinou.

Por fim, ele citou a importância da Alliance nas suas conquistas recentes. O casca-grossa se divide entre atleta e professor na equipe, e falou como isso o ajudou a enxergar a arte suave.

“Meu dia a dia na equipe funciona em me dividir como atleta e professor. O que acredito que isso foi um dos fatores principais para eu estar enxergando o Jiu-Jitsu de diversas formas, melhorando como atleta. E com certeza vir para a Alliance foi uma das melhores decisões que tomei na minha vida, desde o primeiro dia fui super bem recebido, fora o trabalho incrível que eles estão fazendo comigo. Acredito que o Jiu-Jitsu seja um meio para o fim. E lá descobri inúmeras formas de melhorar como pessoa e atleta através do Jiu-Jitsu. Só tenho a agradecer a todos da família Alliance, principalmente ao Fábio Gurgel e Michael Langhi”, encerrou Matheus.

* Por Diogo Santarém

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade