Recuperado, Dimitrius Souza celebra retorno triunfal no Brasileiro e projeta ‘batalhas’ no Mundial 2019

Publicidade

Por Mateus Machado

A melhor palavra que descreve Dimitrius Souza no atual momento é redenção. Após ficar quase um ano afastado dos tatames por conta de lesões, o faixa-preta se colocou à prova no Brasileiro de Jiu-Jitsu da CBJJ, realizado no início de maio, e chegou à grande final da categoria peso-pesado fechando com seu companheiro Vinícius Ferreira. Agora, após mais algumas semanas de preparação intensa, o atleta da Alliance concentra seu foco para o Mundial da IBJJF, que será disputado até o próximo domingo (2), na Califórnia (EUA).

Em entrevista à TATAME a poucos dias de entrar em ação, Dimitrius fez um breve panorama do que espera encarar na disputa do Mundial, onde vai em busca do ouro na categoria peso-pesado, seu primeiro na faixa preta após brilhar nas coloridas.

“Acredito muito que a categoria peso pesado seja a mais difícil desse ano, analisando as chaves e os lutadores que estão inscritos no Mundial. Será uma final por luta e, como já sabemos, o nível é altíssimo. Vamos preparados para dar o melhor e ir em busca de um grande resultado no final, com certeza”, projetou o jovem lutador paulista.

Confira outros trechos da entrevista com Dimitrius Souza:

-Ouro no Brasileiro após sérias lesões

Estava ansioso para lutar, saber como seria meu desempenho depois de quase um ano parado. Sinto que fiz boas lutas e consegui acelerar o ritmo delas quando foi necessário. No entanto, senti a falta que faz estar no circuito, competindo com frequência. O resultado me ajudou a ter mais confiança para o Mundial e voltar a competir com mais frequência.

-Trabalho para prevenção de lesões

Basicamente, estou procurando me cuidar melhor. Dando mais atenção para as pequenas lesões e também escutando mais os meus professores e preparador físico, quando eles falam para eu me cuidar (risos). É um trabalho realizado em conjunto e me sinto confiante.

-Preparação para o Mundial pós-Brasileiro

Eu apenas dei continuidade ao trabalho que já estava sendo feito para o Brasileiro juntamente com minha equipe e os profissionais que me acompanham. A intensidade dos treinos aumentou, naturalmente, como meus professores já tinham programado, até mesmo pela proximidade da competição e da importância que ela tem para todos.

-Premiação para campeões na faixa preta

Se tratando do Mundial, não acredito que a premiação em dinheiro faça aumentar o número de inscritos ou seja uma motivação a mais para os lutadores. O título do Mundial, por si só, já nos motiva a estarmos em busca do topo. Para os demais campeonatos, sim, isso é algo que vai fazer com que mais faixas-preta lutem. Se eu não estiver enganado, o número de faixas-preta quase que dobrou esse ano no Brasileiro da CBJJ, comparado com o ano passado (foram mais de 7.500 atletas inscritos para a edição deste ano). Acredito muito que seja reflexo dessa premiação aos campeões no adulto faixa-preta.

-Planos para disputar o absoluto no Mundial

Ainda não sabemos quem vai disputar o absoluto pela equipe, estamos aguardando o Fábio Gurgel para definir quem vai com o Nicholas Meregali. Temos uma grande variedade de treinos em todas as principais academias da Alliance ao redor do mundo e estaremos prontos para lutar com qualquer atleta, independentemente do seu peso. Vamos com tudo!

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade