Yuri Simões comenta vitória no BJJ Stars e falta de lutas no ONE Championship: ‘Está sendo um problema’

Publicidade

Bicampeão do ADCC em duas categorias de peso diferentes, Yuri Simões voltou a vencer no Jiu-Jitsu pelo BJJ Stars 6, em São Paulo. Há pouco mais de duas semanas, o faixa-preta da Caio Terra Association bateu Mahamed Aly em superluta sem quimono por decisão dos árbitros, depois de empatarem no tempo normal.

Campeão da superluta, Yuri detalhou os pontos que fizeram com que ele saísse vencedor naquela noite, depois de 10 minutos de um disputado confronto diante de um oponente difícil. A seguir, o atleta analisou:

“Foi uma vitória muito boa, mas poderia ter sido melhor. Ele ficou a luta toda tentando não cair, ao invés de tentar me derrubar. Eu fui para lutar, entendeu? Se você ver, eu tentei botar volume na luta o tempo todo, ele só fez ‘sprawl’ e tentou se defender. O Aly deu somente aquele ataque no início e começou a se defender, brigar em cima para não cair. Eu queria lutar… Puxei para a guarda, tentei raspar, fiz entrada de quedas várias vezes. Se ele acha que venceu, é uma opinião dele. A gente pode fazer uma luta sem tempo que eu aceitaria muito feliz”, afirmou o faixa-preta em entrevista à TATAME, que seguiu falando sobre o combate na sequência.

“O momento mais decisivo para mim foi a luta toda. Eu entrei em queda várias vezes e uma, inclusive, eu quase derrubei. Ninguém está falando disso aí. Eu vi o vídeo dos juízes, eles foram até bem sensatos. No final, eu quase raspei ele, quase subi com a perna, e ele só ficou chutando a perna e saindo”, completou.

 

Atleta do ONE Championship, Yuri Simões não atua pela organização asiática desde a sua estreia, em outubro de 2020. Ele, que agora quer focar somente no MMA, argumentou que a organização não conseguiu lhe oferecer um novo duelo e, para facilitar o trabalho, conta que aceita lutar até com atletas mais pesados.

“O ONE está complicado, essa é a verdade. Já estou pressionando eles para lutar desde a minha última apresentação. Não só eu, como outras pessoas que lutam no evento também, que eu conheço, estão tendo muita dificuldade de achar luta. Isso, para mim, está sendo um problema. O campeão Bibiano (Fernandes), que também é brasileiro, não luta há dois anos! O que está acontecendo? Eu quero que o MMA seja minha prioridade agora, mas eles não estão me dando lutas para fazer. Eu luto contra qualquer um, inclusive, o dono do cinturão. Enfrento adversários mais pesados também, eu quero é fazer o meu trabalho”, encerrou.

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

Publicidade